quarta-feira, 30 de março de 2011

Cantarei, Cantará

Música é como rosa. Bonita, mas tem espinhos. Pode encantar e pode ferir. Mas o mundo a usa desde tempos imemoriais. De sons desarticulados, mas diferenciados, acabou em harmonia, som após som, justaposição de notas e virou mensagem pensada. Salmistas, sacerdotes e reis sabiam do poder da canção. Davi tocava harpa e, mais tarde, como rei, achou lugar de destaque para a música no seu governo. Música bem tocada chama o povo. Abre espaço para a mensagem que vem depois. E há uma canção mais agressiva que às vezes vem acompanhada de tóxicos; quem pensou em rock pensou errado. Há muita música que se executa regada de bebida e de tóxicos porque cria e serve a determinado ambientes, no mínimo suspeitos. Sua música traduz o seu modo de ver a terra e o céu. É que dentro da canção vai a fé ou a ideologia. Precisam dela porque além de evangelizar, a canção pode ajudar suas obras! A música une ou separa. Chama para o amor e para a guerra, para o bem e para o mal. Feliz de quem não se deixa dominar ou enganar por ela! Instrumento de diálogo, não deveria cair nas mãos nem dos violentos, nem de pessoas incapazes de dialogar. Não pode ser transformada em arma, nem veículo de mentira ou de fanatismo. É nobre demais para isso!

Fonte: Pe. Zezinho, scj


Esse é o clipe da Música Cantarei, Cantará. Interpretada por Rodrigo Grecco e Pe. Fabio de Melo. A música é muito bonita, e nos faz pensar um pouco sobre o texto.


"Nós seremos sempre jovens

Ao entardecer

Entregando a flor da vida

Para outro ser

Cantarei, cantará

Cantaremos sem parar

Cantarei, cantará

E outra vez a Rosa irá.."

Um comentário:

  1. A musica, enquanto dom de Deus e instrumento de evangelizacao, é uma das coisas que mais desperta a minha espiritualidade. Ou seja, ouvindo, e as vezes ousando cantar, tenha um grande dialogo com Deus.

    E o CLJ foi que mais despertou isso em mim, de me aproximar de Deus atraves da musica e da alegria de ser cristao.

    ResponderExcluir