segunda-feira, 27 de setembro de 2010

NOSSO CORPO É TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO! DEUS EXIGE CUIDADO COM O CORPO

Por Diácono Carlinhos

“Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos.” (I Coríntios 6,19) – Somos todo de Deus... Portanto se você usa a expressão “eu é que sei... a vida é minha, o corpo é meu... faço o que eu quero”. Cuidado! Seu pensamento deve ser revisto...

Nem todas as coisas convêm... eu não me deixarei dominar por nenhuma. (I Coríntios 6, 12) – Não podemos servir a dois senhores... Então não posso ser servo dos ídolos do TER, PODER e PRAZER.

ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. (Romanos 12, 1) – Assim, não me é permitido mutilar meu corpo com pircings, tatuagens, argolas de alargamento e demais modismos que o machuquem...

O corpo deve ser cuidado - Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus. (I Coríntios 6, 20) – Meu corpo pertence a Deus e o que estou fazendo com a propriedade d’Ele?

O corpo não pode ser destruído - Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. (I Coríntios 3, 17) – Assim quando me entrego a orgias, ao sexo livre, às práticas homossexuais, ao dito “ficar” e tantas outras realidades mundanas da sociedade contemporânea estou me utilizando do templo de Deus.

SANTIFICANDO NOSSO CORPO PARA DEUS

Então Moisés tomou o azeite da unção, e ungiu o tabernáculo, e tudo o que havia nele, e o santificou; (Levítico 8, 10) – Santificou o corpo para Deus...

Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. (I Pedro 1, 16)

A santidade das mãos - E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias. (Atos 19,11) – um homem de Deus pode abençoar com o uso das mãos... Deus assegura a cura pelos dons que confere a cada um.

Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda. (I Timóteo 2, 8) – devemos fazer da vida uma oração (orar + ação).

A santidade dos pés - Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu te não lavar, não tens parte comigo. (João 13, 8) – a que lugares meus pés me levam?

E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; (Efésios 6, 15) – use seus pés para lhe levarem fazer o que Deus lhe pede e lhe propõe...

A santidade dos olhos - A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz; (Mateus 6, 22) – olhar sempre com os óculos de Deus... Sem pré-julgamentos, sem maldade,...

Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. (colírio de Deus) - (Apocalipse 3, 18) – "Eis que a mulher se aproxima vestida com enfeites de meretriz para seduzir as almas" (Proverbios 7, 10) - ao cristão não é licito utilizar seu corpo por meio da sensualidade (fotos, vídeos,...) como instrumento de sedução.

CONCLUSÃO

Assim caríssimo Jovem Líder Cristão tenha plena consciência de que o corpo humano é obra prima da criação de Deus e faz parte do propósito divino para nossa vida enquanto estivermos neste mundo. Deus nos determina que sejamos santos e que busquemos a nossa santidade, através dos atos, pensamentos e palavras.

VOCÊ TEM RESPEITADO SEU CORPO (TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO)?

QUE SENTIMENTOS RUINS HABITARAM MEU CORAÇAO ESSA SEMANA?

TENHO BUSCADO MINHA SANTIDADE? COMO?

Reflexão sobre MEDO, FOBIA, PÂNICO e ANSIEDADE

Por Diácono Carlinhos

Este assunto foi proposto a partir da nossa visita à Torre dos Sinos da Paróquia São José (um dos pontos mais altos de nossa cidade). Prática que fizemos no sábado passado, com os jovens do CLJ. A subida se constituiu num exercício de superação física, mas também para muitos, de superação psicológica e emocional, haja vista, o medo ou até mesmo o pânico de superfícies altas. Vamos iniciar conceituando os três itens, depois trazemos sugestões para superá-los e finalmente uma reflexão á luz do que nos propõe um exercício espiritual.

O medo é um sentimento de forte inquietação face a um perigo real ou imaginário. O medo não é ruim, em si, pois ele nos leva a evitar situações de perigo, até quando não estamos conscientes do mesmo. Mas se ele fica exagerado, a ponto de impedir que as atividades cotidianas sejam executadas, então é hora de enfrentá-lo, senão para eliminá-lo, pelo menos para diminuir seu poder incapacitante.

A fobia podemos dizer que é o medo desproporcional, persistente e infundado, pode-se falar de uma fobia, que é uma reação de medo exagerado e irracional frente a um objeto reconhecido, como inofensivo. É o caso de fobias relacionadas a lugares escuros ou altos e a animais domésticos, como gatos e cães ou a insetos, tais como baratas.

O pânico é um “distúrbio” nitidamente diferente de outros tipos de ansiedade, caracterizando-se por crises súbitas, sem fatores desencadeantes aparentes. A sensação é de morte eminente, de perda de controle e medo de enlouquecer. Quando os ataques acontecem com certa frequência, o diagnóstico pode ser transtorno/distúrbio do pânico. É o estágio patológico mais avançado do medo e os cuidados médicos e psicológicos são urgentes.

Como enfrentar o medo com uma "receita" simples:

ü Conhecer mais sobre o objeto de nosso medo, pois a familiaridade com ele vai terminar por diminuir o nosso medo. Ler e estudar sobre o assunto e aos poucos ir se familiarizando com o mesmo.

ü Não evitar as situações que causam medo, pois isto só leva a perpetuá-lo. Se formos evitar, sempre, todos os nossos medos, vamos acabar trancados em casa, com medo de que um avião ou meteorito nos caia na cabeça. Temos que entender e aceitar que os riscos fazem parte de nossa vida e que assumi-los é essencial para termos uma vida de boa qualidade. Além do mais, quando conseguimos nos manter no controle da situação, o medo tende a diminuir. Portanto, não fuja dos seus medos, enfrente-os!

ü Praticar uma reflexão ou alguma técnica de relaxamento, que possa ser empregada na hora do medo, para ajudar a enfrentá-lo. Uma técnica interessante é o relaxamento por sinal, quando associamos a uma palavra como "calma" o estado de tranquilidade induzido por técnicas de relaxamento. Então, na situação de medo, a evocação da palavra "calma" pode contribuir para nos tranquilizar.

ü Ir aos poucos ao encontro do objeto do medo. Se possível acompanhado de pessoas que nos inspirem confiança, alguém que vai saber nos entender e que será um suporte no momento que precisarmos superar nosso medo. Alguém que nos empreste o ombro ou uma palavra de confiança no momento de maior medo, alguém que nos de carinho, segurança e nos compreenda no momento de pânico.

ü Manter uma atitude mental positiva constante, para evitar suas tentativas de enfrentamento do medo seja atrapalhado pelo negativismo de pensamentos como "eu não vou resistir ao medo" ou "eu não consigo resistir ao medo". Ao contrário, digam-se coisas como "eu posso resistir", "eu quero resistir", "eu consigo resistir", que funcionarão como um suporte psicológico importante nos momentos de medo. "Calma, tudo vai acabar bem". Você vai ver que terá mais disposição para enfrentar as dificuldades e para aceitar os inevitáveis fracassos que nos ocorrem de vez em quando

O medo é uma experiência humana universal; para crianças, adolescentes e adultos ele pode servir como uma resposta adaptativa em muitas situações. Os medos em jovens são comuns, transitórios e sua aparência e resoluções podem ser vistas como parte de um processo de desenvolvimento normal. Assim, a mera presença de medos não é um indicador de psicopatologia, podendo, frequentemente, ser necessários ao desenvolvimento normal.

Em outros momentos, as reações de medo e ansiedade podem ser um empecilho ao desenvolvimento desse jovem. As diferenças entre medo, fobia e ansiedade são importantes para clarificar o quadro diagnóstico. A classificação de uma Desordem de Ansiedade Excessiva é uma ansiedade generalizada que inclui medo de avaliação, autoconsciência e ruminação (fica martelando aquele assunto todo o tempo) acerca do passado ou futuro, Do ponto de vista clínico, em oposição ao empírico (não estudado, sem base cientifica), muitos consideram estas distinções passíveis de mudanças.

Há muitos motivos e formas de medos, sendo que estes não estão relacionados apenas a pessoas, animais ou coisas. Há também jovens que se perturbam e se anseiam em relação a sua opção sexual, isso normalmente acontece na adolescência, mas com boa orientação e relações de confiança com os pais ou um orientador escolhido pelo jovem, esses aspectos são superados. Há jovens que possuem medo constante da morte dos pais, de reprovação no final do ano, de se acidentarem de carro, de moto, etc. outros têm medo na passagem das fases: da infantil para adolescência e essa para a fase adulta, das responsabilidades e compromissos que irá assumir...

Apesar da idade e nível de desenvolvimento ditarem algumas dimensões dos medos, estes influem diretamente no temperamento, podendo inclusive, determinar pesadelos, acessos de raiva, afastamento social e comportamento agressivo. Isso tudo às vezes numa tentativa desesperada, até mesmo de pedir socorro. Mas o importante é que no caso das crianças os pais e educadores estejam atentos a isso. Na adolescência, além desses, o próprio jovem que se der conta desta realidade deve ir ao encontro dos seus pontos de estabilidade e superação. Buscando orientação junto aos pais ou pessoas de sua extrema confiança, com quem possam partilhar seus medos, fobias e ansiedades. Pessoas que irão ampará-los, entende-los e acolhe-los da melhor forma possível.

A fé também é fundamental na superação dos nossos medos, das fobias e das ansiedades. Mas não uma fé vazia, pois apenas crer por crer até os demônios creem, a diferença está é que eles creem, mas não amam, o seu diferencial na superação do medo está no amor. No seu amor para com o próximo, no amor do próximo para contigo. Sentir-se amado num momento de medo, de solidão e de ansiedade é algo indescritível, é algo divino, sem conceituação.

Diz Santo Agostinho que hoje vivemos uma realidade muita seca, que até mesmo entre pessoas que se dizem com muita fé, há certo medo de se jogar aos pés de Jesus. E é justamente esse medo que muitas vezes, nos impede de viver a vontade de Deus. Então esse medo não me permite me desligar do “homem velho”, do individuo fútil e vazio do passado. Assim durante minhas crises tenho medo de estar perdendo alguma coisa que seria valiosa. Mas esse é um medo equivocado. Então como diz a canção: Põe tuas mãos nas mãos do meu Senhor da Galiléia; põe teus pés, nos pés do meu Senhor que acalma o mar... meu Jesus que cuida de mim noite e dia sem parar, põe teus pés nos pés do meu Senhor que acalma o mar. Lembre-se sempre que Jesus jamais abandona um dos seus, no momento de maior medo, fobia e ansiedade tenha certeza de que Deus irá colocar um Sirineu para te auxiliar, mas para isso tu terás que aceitar a sua ajuda. Abra os seus braços, peça um abraço, segura na mão e pede o auxilio, não te envergonhes, esse é o Sirineu que Deus te mandou.

Ao concluir nossa reflexão sobre: o medo, a fobia, o pânico e a ansiedade, sugiro que vocês revejam suas listas do “NUNCA”:

ü Nunca mais direi eu não posso, pois tudo posso naquele que me fortalece. (Fp 4, 13)

ü Nunca mais direi eu não tenho, pois o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir em Cristo Jesus, cada uma das minhas necessidades. (Fp 4,19)

ü Nunca mais direi que tenho medo, porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação. (2Tm 1, 7)

ü Nunca mais direi que tenho dúvidas ou falta de fé, porque eu tenho a medida da fé que Deus repartiu a cada um. (Rm 12, 3)

ü Nunca mais direi que sou fraco, porque o Senhor é a fortaleza da minha vida. (Sal. 27, 1) e o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e altivo. (Dn 11, 32)

ü Nunca mais direi que estou derrotado, porque Cristo sempre me conduz em triunfo. (2 Co 2, 14)

ü Nunca mais direi que não tenho sabedoria, pois Cristo Jesus... se tornou da parte de Deus (minha) sabedoria. (I Co 1, 30)

ü Nunca mais direi que estou preocupado e frustrado, pois estou lançado sobre Ele toda a minha ansiedade, porque Ele tem cuidado de mim. (I Pe 5, 7).

E você tem medo do que?

Pense nisso!

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

INDECISÃO!

Por Diácono Carlinhos

Essa semana estive com pessoas que me disseram querer muito se afastar do “grupo do mal”, pois sabem que daqui a pouco estarão sendo vítimas da violência, da exploração, do vício, ... Pessoas que vivem entre aqueles que optam pelos ídolos do TER, PODER e PRAZER... Onde há o consumo de drogas, o risco constante de estupros, de uma gravidez indesejada, entre tantas outras práticas que nos afasta de Deus e de todos aqueles que optam pelo bem. Minha orientação nesse sentido vocês já conhecem e, é a que recomenda a Igreja, pois é a mesma que rege os princípios e valores da família cristã, é a mesma que rege os grupos do bem, é a mesma que rege uma sociedade feliz e saudável.

Deus nos deixa claro sobre sua determinação neste sentido, ou seja, tenho que optar entre viver com o “grupo do bem” ou com o “grupo do mal”... Tanto que São Mateus no capitulo 6, 24a nos diz: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro.Vejam que não há meio termo ou eu escolho fazer o que Deus me orienta ou eu opto pelos deuses mundanos, São João no Livro do Apocalipse 3, 15-16, já nos afirma a esse respeito: “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca.” Dessa forma Deus nos mostra que não é permitido a um cristão ficar em cima do muro, tenho que fazer uma opção ou é pelo “bem” ou é pelo “mal”.

As consequências destas escolhas nos vemos todos os dias: nas clínicas; nas fazendas terapêuticas; nos hospitais; no número de adolescentes gestantes; no número de jovens que se tornam estéreis e mutiladas em decorrência da prática de abortos; no número de mães que precisam criar seus filhos de forma independente em decorrência de uma gravidez não planejada, assim perdem sua adolescência, sua mocidade, sua liberdade. Vemos também no número cada vez maior de jovens com AIDS, no número cada vez maior de jovens sem rumo, perdidos. Jovens que fazem de tudo para chamar a atenção e pedir socorro para essa sociedade que não está nem aí para eles, pois não passam de objetos a serem descartados depois explorados e usados. Adolescentes que não se dão conta do tesouro que são e se deixam seduzir e explorar pelo mundo secularizado e materialista.

Ora, vocês são jovens inteligentes. Nenhuma outra geração contou com tanta informação quanto a que vocês contam. Em compensação, nenhuma outra geração esteve tão perdida quanto à de vocês. É como se chegássemos num cruzamento, esta tudo sinalizado, há muitas placas, mas nós não sabemos para onde ir. Pois o jovem líder cristão sabe qual é o rumo a seguir, ele sabe qual é o seu ideal, sabe onde está o seu porto seguro (na sua família; no seu grupo; nos seus amigos/irmãos que conquistou dentro da Igreja).

Cada um de nós é convidado a construir a sua própria vida, a partir das decisões que toma, pelo “bem” ou pelo “mal”. Não há possibilidade de retardarmos nossas decisões. Elas precisam ser tomadas agora. Não podemos ficar no meio termo (morno). As decisões que vocês estão tomando agora vão repercutir em toda a vida de vocês. Neste momento vocês estão construindo o alicerce da casa de vocês, ou vocês colocam material de primeira classe e ficam com uma construção consistente ou utilizam material de segunda ou terceira categoria e terão as consequências dessa decisão (goteiras, rachaduras, umidade, mofo,...), ou seja, dor e sofrimento.

São Mateus no capítulo 7, versículos 24-27 nos fala a este respeito: “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha. E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não caiu, porque estava fundada sobre a rocha. Mas todo aquele que ouve estas minhas palavras, e não as põe em prática, será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa, e ela caiu; e grande foi a sua queda.”

Na Primeira Carta de Pedro, capítulo 2, temos: “Deixando, pois, toda a malícia, todo o engano, e fingimentos, e invejas, e toda a maledicência, desejai como meninos recém-nascidos, o puro leite espiritual, a fim de por ele crescerdes para a salvação, se é que já provastes que o Senhor é bom; e, chegando-vos para ele, pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e preciosa, vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo...”

E São Pedro continua: “... assim para vós, os que credes, é a preciosidade; mas para os descrentes, a pedra que os edificadores rejeitaram, esta foi posta como a principal da esquina, e: Como uma pedra de tropeço e rocha de escândalo; porque tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados. Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;...” E aí depois de toda a análise que já fizemos até aqui: qual o seu pensamento sobre os grupos do “bem” e do “mal”? Que pedras estamos sendo? Sou uma pedra valiosa ou sirvo de tropeço na esquina?

ESSA ANÁLISE SOBRE “INDECISÃO” me fez recordar da história da rã que não sabia que estava sendo cozida...

Através da metáfora (A história da Rã COZIDA), gostaria de colocar em evidência as funestas consequências da nossa falta de consciência e indecisão. Da falta de atitudes de mudanças que precisamos adotar para nossas vidas. Indecisão que afeta nossa sociedade, gerando sérios riscos a nossa saúde. Indecisão que trás graves consequências em virtude de nossas relações fúteis, imaturas e inconsequentes, principalmente na prática do “ficar”.

Gostaria muito que vocês lessem a história abaixo pensando na vida de vocês. Fazendo uma análise do que está acontecendo, dos grupos sociais e das pessoas com quem vocês se relacionam - sobre o que vocês pensam ou que esse grupo tenta fazer vocês pensarem sobre o “certo” e o “errado”, sobre o “bem” e o “mal”:

Imaginem uma panela cheia de água fria, na qual nada, tranquilamente, uma pequena RÃ. Um pequeno fogo é aceso embaixo da panela, e a água se esquenta muito lentamente. Pouco a pouco, a água fica morna, e a rã, achando isso bastante agradável, continua a nadar, a temperatura da água continua subindo... Agora, a água está quente mais do que a rã pode apreciar; ela se sente um pouco cansada, mas, não obstante isso, não se amedronta. Nesse momento, a água está realmente quente, e a rã começa a achar desagradável, mas está muito debilitada; então, suporta e não faz nada. A temperatura continua a subir, até quando a rã acaba simplesmente cozida e morta.

Se a mesma rã tivesse sido lançada diretamente na água a 50 graus, com um golpe de pernas ela teria pulado imediatamente para fora da panela.

Isto mostra que, quando uma mudança acontece de um modo suficientemente lento, escapa à nossa consciência e não nos desperta na maior parte dos casos, reação alguma, oposição alguma, ou, alguma revolta. Muitos grupos dos quais participamos acontece isso: no começo nos aproximamos de uma pessoa, depois nos relacionamos com outra, as quais já pertencem a aquele grupo e assim sem nos darmos conta estamos integrando um grupo que opta pelo mal e com o passar do tempo torna-se muito difícil ou quase impossível nos afastarmos deles. Releiam o texto: “DECIDI! NÃO QUERO MAIS VIVER COM MEUS MONSTROS...” ( http://cljparoquiasaojose.blogspot.com/2010/08/decidi-nao-quero-mais-viver-com-meus.html ).

Ao integrar esse grupo, você não se dá conta aos ataques contínuos às suas liberdades individuais, à sua dignidade como pessoa, à integridade da sua natureza humana e da sua pureza como filho de Deus. É-lhes retirado o direito de ver o que realmente é belo (seu coração). É-lhe passada uma imagem de que sua beleza está no vestir, na moda, nos cosméticos, naquelas futilidades que a mídia lhe vende. Com isso você vai deixando de SER o que realmente você É para ser o que os outros querem. Um belo pacote de presente (com roupas e calçados de marca), mas algo vazio, triste, assustado, vivendo uma solidão dolorida, estando cercado de gente. Perguntem a qualquer jovem que trabalhou no I Jantar Gauchesco do CLJ se trocaria aquele dia de trabalho, mesmo cansativo por uma balada ou por uma festa que a dita “sociedade” propõe. Verifiquem se não foi um dia de extrema felicidade, alegria e prazer, sem a necessidade da bebida, do vestir-se como a sociedade lhe impõe, sem a necessidade de idolatria aos ídolos do TER, PODER e PRAZER. Aqui havia o melhor de todos os ingredientes: O AMOR, e onde há amor, há Deus e quem não quer ficar perto de Deus...

Concluindo, afirmo-lhes que infelizmente, vejo jovens belíssimos, com corações lindíssimos, perderem a alegria de viver. Possuem momentos alegres ou de extrema euforia e confundem isso com felicidade, durante uma balada, uma boate ou outro evento dessa natureza. Jovens que hoje possuem plena consciência de serem vítimas dessa sociedade mundana que só quer usá-los e abusá-los, mas sentem-se agora indecisos e incapazes de se defenderem. São RÃS sendo cozidas lentamente. Aceitam essas condições de vida decadentes, aliás, dramáticas... Aceitam a pressão do grupo, da mídia, que satura seus cérebros. Jovens que infelizmente se dizem inteligentes, mas não podem mais distinguir as coisas (certo e errado; normal e anormal). São os escravos da atualidade.

Então se você está indeciso, se você ainda não está como a RÃ, já meio cozido, dê um saudável golpe de pernas, antes que seja tarde demais. Saia da indecisão, se você tem consciência (certo e errado). Agora se prefere ser cozido a escolha também é sua. Mas não dá para protelar mais, você precisa escolher agora, com qual dos grupos irá ficar (quente ou frio) ou (do bem ou do mal).

E você jovem líder cristão tem escolhido o que?

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Egoísmo

Por Diácono Carlinhos


O egoísmo é o hábito ou a atitude de uma pessoa colocar seus interesses, opiniões, desejos, necessidades em primeiro lugar, em detrimento (ou não) do ambiente e das demais pessoas com que se relaciona. (Fonte: Wikipédia)

A Bíblia nos diz que o egoísmo nos destruirá.

Portanto você jovem líder cristão, cuidado com suas ações e atitudes egoístas. Encontramos isso no Evangelho de Marcos 8, 36-37 “Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida? Ou que diria o homem em troca da sua vida?”

O egoísmo é a causa central dos problemas que há entre pessoas. A Bíblia nos diz em São Tiago 4, 3 “Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.”

Mas o egoísmo tem remédio, primeiro fazendo uma analise de meus procedimentos e verificando se tenho essa característica. Depois verificando em quais momentos eu sou egoísta e em terceiro lugar querendo mudar e tomando atitudes que demonstrem que eu estou deixando para trás essa atitude.

O egoísmo pode estar relacionado ao material, ao amor, às amizades...

O egoísta quer tudo para si, quer que todos pensem do seu jeito, quer impor suas ideias para todos e espera que todos o achem o melhor.

Na amizade o egoísta usa as pessoas de acordo com os seus interesses, as pessoas ficam ao seu dispor, e principalmente, essa pessoa lhe é muito inteligente, interessante, etc, etc, mas enquanto está bem, na menor dificuldade ou durante um momento de crise, não lhe serve mais, vai buscar outra pessoa para se servir.

Isso não é uma amizade verdadeira, isso é uma amizade funcional. É uma amizade de interesses, ou seja, ela só mantém uma pessoa do seu lado achando que essa possa lhe trazer algum benefício, senão, descarta. A pessoa egoísta também é muito egocêntrica, muitas vezes acha que o mundo gira em torno do seu próprio umbigo e isso é muito grave, pois futuramente sofrerá muito.

Não são dessas relações que Jesus fala na Bíblia... Porque um cristão sob-hipótese alguma pode ser egoísta. Jesus ensina que o verdadeiro amigo é aquele que ama, cuida, zela e principalmente está junto do outro quando esse está sofrendo, doente, solito ou isolado.

Existe um escritor irlandês chamado Bernard Shaw que diz: “O pior pecado contra os seres humanos não é o ódio para com os homens, mas a indiferença.” E o egoísta trata as pessoas com uma indiferença absurda, menos quando estes estão ao seu serviço, quando usa ou precisa das pessoas o egoísta é gentil, educado, carinhoso, mas somente enquanto precisa dessas.

Madre Teresa de Calcutá faz uma afirmação muito inteligente sobre esse momento: “A pior doença a que nos nossos dias estamos sujeitos, não é a lepra ou a tuberculose, mas o sentimento de que se é indesejado, e de que se está sem apoios, abandonado”. Para que o mal triunfe, basta que aqueles que lhe podem opor permaneçam indiferentes. Ou seja, um verdadeiro amigo, um verdadeiro irmão, jamais deixa aquele que ele ama sozinho, principalmente quando este está sofrendo.

O egoísmo é uma praga para o relacionamento! Ele é totalmente oposto ao significado de amar, que em resumo é doação. Amar é colocar a dedicação ao outro sempre antes do próprio interesse. Quem realmente sabe amar entrega-se totalmente à relação e não se importa em abrir mão de certas vontades para a satisfação do ser amado (seja amigo, irmão, namorado...). Investe constantemente nesse relacionamento, mesmo sem ser correspondido. Sente-se bem quando o outro demonstra alegria e quando o outro está feliz.

Logo, uma pessoa egoísta não é capaz de demonstrar amor com o outro, durante a dor e o sofrimento deste, muitas vezes o abandonando por causa de suas próprias necessidades e vontades, pois nesse momento o outro não poderá estar inteiramente ao seu dispor e ao seu servir, assim é descartável.

Cabe a cada um de nós avaliarmos se somos ou não egoístas.

Se você tem uma pessoa egoísta ao seu lado, tente mostrar para ela o quanto você sofre e quanto ela te magoa; e se mesmo assim ela não quiser mudar, a escolha da sua felicidade estará em suas mãos.

Se você sabe que é uma pessoa egoísta tente ser diferente, aprenda a amar; comece a avaliar e respeitar as necessidades do outro no momento em que ele mais precisa, vai fazer seu relacionamento durar muito e ser forte.

Trate o outro como gostaria de ser tratado naquele momento!

Pense nisso!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

TU SABES QUAL É O RUMO A SEGUIR?

Por Diácono Carlinhos

OS EVANGELHOS DESTA SEMANA FALAM SOBRE: “CERTO” e “ERRADO”, SOBRE “BEM” E “MAL”, SOBRE “TRANFORMAÇÃO”...

Eu errei, tu erraste e eles erram, agora precisamos aprender com os erros, pois continuar errando não condiz com a atitude de pessoas inteligentes. Esta semana ouvi que não podemos mudar o que já passou ou o que eu fiz ontem, mesmo que eu me arrependa, não adianta mais querer mudar.

Concordo! Agora posso mudar e ser protagonista do que está por vir...

Nunca esqueçam que meus atos hoje, terão reflexos no meu amanhã e reflexos bons ou maus, conforme foi minha escolha, então:

♪♪♪Sabemos o rumo a seguir, o Cristo que é nosso ideal.

É preciso que o mundo seja um pouco melhor.

Porque nele eu vivi e por ele tu passaste, meu irmão. ♪♪♪

Outra questão: não sou bom ou não quero ser sempre bom... Mas o Cristão é chamado para ser bom sempre e enquanto sabemos da história da humanidade e a própria Bíblia nos mostra que ninguém se arrepende de ser bom, enquanto pelo fato de ser mau sim, então por que preciso ser mau?

Sabemos que a adolescência é o momento de maior “desacomodação” de hábitos, às vezes para melhor, outras, não. Que há um momento crucial de reavaliação de nossos hábitos, quando começamos a entrar na vida adulta, embora muitas vezes tentamos fugir disso. Eu lhes asseguro, não adianta, não vamos conseguir protelar isso nem psicologicamente, nem fisicamente e nem espiritualmente. Inclusive lhes afirmo que a vida inteira não paramos de mudar e mudanças implicam escolhas e as escolhas de hoje influem diretamente na nossa vida amanhã. Então, faça suas escolhas sempre pelo bem.

Como ter mais acertos que erros? Veja algumas dicas:

- Não se deixe apenas levar pelos acontecimentos ou pelo modismo (a moda passa a sua vida continua), pois tudo que tu faz hoje, vai se refletir ao longo de tua vida;

- Tenha em mente como tu gostarias de estar daqui a cinco ou dez anos, isso pode ajudá-lo a evitar situações que venham a prejudicar seus sonhos;

- Informação é essencial, tanto para as pequenas quanto para as grandes decisões. Quer um exemplo? Se tu desejas melhorar teu físico e é bem informado não vai cair no conto dos anabolizantes! Lembrem-se do que nos ensina São Paulo: “O nosso corpo é templo do Espírito Santo”, portanto, não mutile, não judie e não exponha esse corpo (templo de Deus) aos deuses do TER, PODER e PRAZER.

- Cuidado com as emoções antes de dizer “sim”, “não” ou se decidir sobre o impacto de forte emoção. Se está irritado pense duas vezes. Não pense que as coisas ruins só acontecem com os outros. Avalie os riscos e se vale a pena corrê-los!

- Não permitam que os “anjos do mau” decidam por vocês, principalmente os que integram nosso grupo social dos ditos “conhecidos” e “parcerias”. Sob a pressão da turma, arrume um jeito de pular fora. Não participe de eventos ou locais onde sabe que a tentação é maior. Participe de grupos e construa seu circulo de amizades com pessoas do “bem”, que possuem princípios familiares, morais, éticos e que conheçam o que nos diz a doutrina cristã. Pessoas assim só nos trazem alegria e satisfação.

Se tu tens “conhecidos” ou “parcerias” que lhe ridicularizam ou gozam pela sua conduta cristã, ou tentam desviá-lo do caminho do bem, afaste-se dessa ou dessas pessoas, são aquelas que optam pelo mal. É sobre essas que Jesus nos alerta, para sequer ficarmos com resquício de pó nas nossas sandálias, após nos afastarmos delas, devemos sacudir toda a poeira que ficou em nossos pés, ou seja, para não nos contaminarmos com a sua maldade.

Concluindo, quem vive preso ao passado não faz história, ou seja, se errou cabeça para cima e faça tudo para começar a acertar. Se já fez algo que sabe ser errado, não cometa novamente, será cada vez mais frustrante e as consequências cada vez piores. Uma das condições de pecado é “pleno conhecimento”.

Recentemente li um texto onde a vida pode ser comparada a um rio, tem um destino e, portanto, não pode parar. Entre um obstáculo e outro, segue seu curso até chegar ao oceano. Imaginemos que o rio passa por muitas paisagens e lugares diferentes, alguns mais encantadores, outros menos, no entanto, ele não para, continua sua jornada e não só, vai recebendo dos arroios e afluentes, mas também, por onde ele passa, vai partilhando riquezas e dividindo suas águas.

Meus caríssimos jovens, a vida muda com o tempo e é preciso ter coragem para encarar as mudanças com maturidade. Não fiquem presos ao que passou, se em algum momento tu esteve à margem do que Deus te propõe, deixem aquela vida mundana para trás (releiam o texto dos monstros que está no http://cljparoquiasaojose.blogspot.com/ ). Observe a “filosofia do rio” eu os convido para contemplarem uma nova paisagem à sua margem. O rio não para onde lhe é mais cômodo, entre um desafio e outro, segue seu destino, por isso tem a oportunidade de estar sempre crescendo enquanto persegue sua meta.

Não volte ao passado, não retroceda, olhe para frente, você sabe qual é o rumo a seguir. Talvez tu hoje até esteja passando por situação semelhante, sofrendo as pressões ou tentações do mundo mundano, e é pensando em casos assim que partilho contigo o que penso, olhe para frente, seja protagonista do seu futuro.

Não! Tu não nasceste para o mal, tu nascente por obra e por um sopro do espírito de Deus que é só amor e é sumo bem, então cresça, seja daqueles jovens que mudam o rumo da história da humanidade para melhor. Deus lhes deu essa missão e eu confio em vocês.

Na prática, hoje, procure fazer algo concreto para levar o amor de Deus às pessoas, mesmo que sejam atitudes bem simples, mas comece já. Acredito que aí está a cura para muitos males deste mundo. Vejam quantos projetos estão sendo realizados pelo CLJ, mas quantos ainda podem e devem ser realizados. Mãos à obra! Talvez nem necessitemos ir longe, existe muita gente que precisa de nós até dentro de nossas próprias casas. Amar e servir é a essência da vocação cristã. Cristo passou por este mundo nos ensinando com a vida essa lição. Se tu aceitas um conselho: não pare na dor das perdas ou na saudade, experimente amar sem esperar recompensas. Vocês ficarão surpresos com os resultados. Estou rezando e torcendo por vocês, façam o mesmo por mim! TU E MUITO IMPORTANTE PARA MIM!

Pense nisso! HOJE TU TENS AMIGO/IRMÃO (ou ainda só tens parcerias)?

· CONSEGUES PERCEBER CLARAMENTE QUAIS SÃO AS PROPOSTAS DO MUNDO QUE TE AFASTAM DE DEUS?

Jovem, e aí: “Ficar” ou “Namorar”? Eis a questão!

Por Diácono Carlinhos

Jovens Líderes Cristãos “... vós sois o Sal da Terra a luz do mundo”. (Mc 9, 50)

No encontro de sábado, vocês trabalharam o tema: “namorar” ou “ficar”. Estando a primeira prática (o namorar) a cada dia mais em desuso, enquanto cada vez mais, a expressão e prática do “ficar” passa ser uma realidade entre os jovens e adolescentes. Esta é uma questão que tem gerado sérias discussões entre jovens do mundo (mundano) e os jovens líderes cristãos. O namoro convencional tem sido deixado de lado e, com isso, muitos jovens saem em busca de aventuras românticas e prazeres momentâneos ao invés de um verdadeiro compromisso como deve ser prática de um jovem cristão.

A maioria opta pelos ídolos do TER, PODER e PRAZER que a sociedade vende como a melhor saída, embora, os resultados e estatísticas demonstrem diariamente que é justamente ao contrário. Observem quem e quais os jovens que realmente são felizes. Não confundam com breves momentos de alegria, os quais normalmente ocorrem durante uma boate, uma balada ou evento semelhante. Eu falo sobre felicidade, sobre ser realmente feliz. Vejam se os jovens que são castos, que se respeitam, que possuem princípios, que possuem valores morais e éticos se são jovens infelizes.

Façam uma análise vocês mesmos, se algum de vocês já foi assim ou se convive com pessoas assim, verifique se vocês ou se essa pessoa era mais feliz antes, ou se é mais feliz agora.

Nunca ouvi da boca de um jovem que tenha se arrependido de se preservar, de ter respeitado e valorizado seu corpo, pelo contrário, sempre ouço afirmativas positivas. Agora, lhes asseguro é comum ouvir de jovens mundanos o seu arrependimento, as suas tristezas, as suas frustrações, suas mágoas e em muitos casos as feridas deixam cicatrizes que nunca mais irão se apagar.

Lamentavelmente namorar, noivar e casar, para muitos jovens, já não é mais a realização de um sonho. Em contrapartida, muitos deles preferem se lançar em relacionamentos passageiros que, na maioria das vezes, só trazem frustrações e decepções.

Aprendemos que o “ficar” sem compromisso é uma atitude que não deve ser tomada pelo verdadeiro cristão, pois sem a orientação de Deus, todos os nossos planos são frustrados. Nossa vida deve ser pautada de acordo com a vontade de Deus. O jovem líder cristão deve assumir com responsabilidade os seus compromissos e decisões.

Observem que ser sal e luz é um ordem divina, é uma atitude que deve ser tomada por todos os jovens cristãos, e esta decisão irá refletir em todas as áreas de suas vidas, inclusive no namoro. O jovem líder cristão deverá se manter firme na presença de Deus, na certeza de que no tempo d’Ele irá colocar uma pessoa abençoada para se relacionar conosco, uma pessoa séria e que também queira primar por este compromisso. Deus tem o melhor para nos dar, por isso temos que querer o melhor e esperar o tempo certo para o amor.

O Papa pedia aos jovens para que sejam do mundo, sem serem mundanos e assegura que não podemos nos abster nas situações que nos rodeiam, como se não tivéssemos nenhuma responsabilidade sobre aquilo que nos rodeia. Temos que deixar de acharmos normais atos e práticas anormais e que são contrarias aos ensinamentos de Cristo.

Para sabermos como agir, é importante ter cuidado com o julgamento, deixando sobressair a compreensão e a misericórdia de Deus. Agindo como se estivesse recebendo a orientação do Pai. É fundamental, também, que o jovem cristão tenha coragem para agir da forma correta, mesmo que o mundo pense de outra forma e que a nossa ação não seja tão valorizada e visível.

Quando o jovem líder cristão é comparados com o sal recai sobre ele uma responsabilidade tamanha: o jovem líder cristão deve ter um sabor incomparável. Ser sal nessa terra implica em fazer a diferença nesse mundo. Enquanto o mundo se corrompe, vai perdendo seus valores, o jovem lider cristão deve a cada dia transformar-se em exemplo e modelo e não se conformar com o que o mundo (mundano) lhe oferece, onde o jovem não passa de um objeto que depois de usado pode ser descartado.

Jovem, Cristo lhe deu essa função, você deve ser o sal da terra, acontece que se você perder o sabor, não servira mais pra nenhuma das funções distintas ao sal. Somos salvos por Jesus Cristo, mas se perdemos as nossas qualidades, se perdermos as nossas características (não cumprindo o que Ele nos pede) vamos deixar de ser e vamos simplesmente parecer ser sal, ou seja, posso estar no templo, sem estar na Igreja.

Concluindo, dessa forma o jovem líder cristão cumpre o que Deus lhe pede: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que todos vejam as suas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está no céu. (Mt 4,16)”

domingo, 19 de setembro de 2010

Jantar-baile gauchesco do CLJ foi um sucesso

Mais de 300 pessoas prestigiaram o 1º jantar-baile do CLJ. O salão da Paróquia São José estava praticamente lotado. O principal destaque do evento foi o empenho do jovens do movimento que desde sábado de manhã já trabalharam para o êxito do jantar.

É, a galera realmente se esforçou. As mãos ficaram sujas e calejadas de tanto descascar mandioca. Ainda descascamos batata, cenoura, tomate. Choramos ao picar cebolas. Os guris até pareciam açougueiros preparando o galeto. Tinha gente que nunca havia feitos essas coisas.
Emilin e TaísFelipe e Patrick: os açougueiros

Mas não foi só na cozinha que trabalhamos. O salão foi todo arrumado pelo jovens do CLJ. A equipe Tia Delma de decoração fez um belo trabalho. Ainda separamos os talheres e passamos álcool nos 500 pratos.
Tia Delma arrumando o painel de entrada

Era muito trabalho a ser feito, mas foi simples desempenharmos as atividades propostas porque éramos muitos. Além disso, não estávamos ali obrigados e sim muito felizes por servir a Deus. Tudo era realizado a base de muita risada, cantoria, conversa e muitas fotos.

Durante o jantar o empenho do pessoal não foi diferente. Recepcionamos, servimos, vendemos docinhos... Os guris da copa ralaram a noite toda. Ainda teve apresentações artítsicas e baile que se estendeu até duas horas da madrugada.Invernada Juvenil Alma Gaudéria

O resultado de todo esse empenho poderia ser diferente: nosso jantar foi um sucesso. E o melhor de tudo: as pessoas saíram satisfeitas. Afinal "Tudo colabora para o bem daqueles que servem ao senhor!"

Galera

Muito obrigada por tudo que fizeram. Estamos no caminho certo. Assim o nosso CLJ vai cada vez mais se fortalecer.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCO!

(também conhecida como Oração da Paz)


Senhor: Fazei de mim um instrumento de vossa Paz.

Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,

Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.

Onde houver Discórdia, que eu leve a União.

Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.

Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.

Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.

Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.

Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!

Ó Mestre, fazei que eu procure mais:

consolar, que ser consolado;

compreender, que ser compreendido;

amar, que ser amado.

Pois é dando, que se recebe.

Perdoando, que se é perdoado e

é morrendo, que se vive para a vida eterna! Amém

QUAIS DESTES SENTIMENTOS RUINS HABITARAM SEU CORAÇAO ESSA SEMANA?


O QUE VOCÊ FEZ PARA SUPERÁ-LOS?

REFLETIU SOBRE ACEITAR OS TALENTOS QUE DEUS LHE DEU E ACEITAR-SE COMO VOCÊ É?