segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A fila da comunhão

Por Diácono Carlinhos


Na fila da comunhão é o local onde eu faço um encontro pessoal COM o Cristo que ficou e “está no meio de nós”. Alimento vivo para o meu coração... É onde encontro a cura para os meus males (físicos – psíquicos e espirituais) e onde encontro a salvação...quando estou na fila da comunhão, estou na ceia “COM” Jesus e os Apóstolos lá na Quinta-feira Santa quando ele instituiu a “Eucaristia” e também estou em comunhão “COM” todos os irmãos no mundo inteiro...

Através da “Eucaristia” não há distância física.

“Sim, eu te amo particularmente e assim é que te trato: como um Pai. Meu coração se enternece. Volte filho, para o caminho, para a formação do teu Pai. Deixa que eu te forme, meu filho. Eu te devolvo tudo: filiação, meu amor, roupas novas...”

NENHUM DE NÓS RECEBE DE DEUS O MINISTÉRIO DO JULGAMENTO... POR ISSO JESUS DIZ QUE DEVEMOS PERDOAR SETE VEZES AO DIA...NA VERDADE ELE NOS DÁ UMA MISSÃO ETEM UM PLANO PARA CADA UM DE NÓS E NESSE PLANO NÃO HÁ ESPAÇO PARA ÓDIO, RANCOR, RAIVA,... AGORA! VAI DEPENDER DE CADA UM EM CUMPRÍ-LO OU NÃO!

QUANDO DEIXO DE CUMPRIR MEU PLANO, ALGUÉM ESTÁ CARREGANDO PARTE DA CRUZ E DA CARGA DO OUTRO QUE SERIA MINHA!

Tem uma música que diz:

“Eu não era digno nem de um olhar seu, mas o Senhor me chamou e me escolheu. Como não vou te amar, como posso não me entregar Pra sempre Como posso resistir a um tão grande amor por mim, Pra sempre. Debaixo daquelas vestes sujas Deus viu que havia um filho. Este filho era eu. Como não vou te amar, como posso não me entregar Pra sempre. Como posso resistir a um tão grande amor por mim, Pra sempre).”

Esta é uma grande verdade: o demônio não suporta perdão, não suporta humildade. Ele não suporta nos ver de joelhos. Ele é o pai da arrogância. Ele é o arquiteto do mal, agora depende de cada um de nós aceitarmos ou não sua arquitetura. Para aceitar os planos do “demônio” basta não darmos ou pedirmos perdão... pois começamos aí a nos afastarmos da fila da comunhão.

Este não pode ser um final de ano longe de Deus. Está chegando o fim do ano e nós não podemos estar afastados da fila da comunhão. É preciso se encontrar com a misericórdia de Deus, é preciso mudar o que está errado em nossa vida!

Pense bem! Será que esse pecado, que estamos cometendo agora, é maior ainda, porque estamos pecando por incredulidade por não acreditar no amor de Deus, que já nos perdoou e nos pede para fazermos o mesmo. E ele me disse: “Nunca se afaste de Jesus!” Podemos dizer uns aos outros: Nunca se afaste da eucaristia! Nunca se afaste de Maria! Nunca se afaste da Santa Missa! Volte! Volte para a Igreja agora, volte para a sua vida com Deus! Volte para a fila da comunhão.

Normalmente, quando nós pecamos ou ficamos insatisfeitos com alguma coisa na Igreja, a primeira reação é fugir, é se esconder. Mas não deve ser assim, não é isso! A sua reação deve ser a de correr para a igreja, para Deus. O ser humano quando está triste com alguma coisa relacionada à Igreja, peca, fica chateado com alguém ou algo, quando sente medo, quer se esconder e ficar sozinho. Mas se olharmos os animais, vamos ver que quando sentem medo correm para as suas tocas, suas casas. Então quando não estamos bem, estamos chateados com alguma coisa ou alguém, não corra da igreja, corra para a igreja. Lá é seu lugar. Não se esconda. Sabemos que todos nós temos cruzes, dificuldades, defeitos – mas que dizer desta visita de Jesus Cristo às nossas vidas, que dizer desta oportunidade maravilhosa em que o próprio Deus, na eucaristia, visita nosso lar em nossos corações? Somos mais privilegiados por termos a oportunidade de estarmos diretamente com Deus em nossos corações.

Ouça o silêncio do seu coração e veja o que Deus está te dizendo neste momento... Ele está falando contigo! Ouça! (Por favor: faça uma oração... fecha teus olhos e siga o que Deus está te dizendo)

Então, não desacredite da misericórdia de Deus. Não se afaste do Senhor. Comece o ano retomando a confiança na misericórdia de Deus... Volte para a fila da comunhão...

Repete comigo: “Deus me ama do jeito que eu sou, porque Ele confia em mim, porque Ele sabe que eu posso melhorar e porque eu já mudei e eu vou mudar ainda mais”.

Toma a tua decisão agora, não espera para depois... o demônio quer protelar tua resposta... ele é o arquiteto do mal... não permite que te cerque com a maldade, com os maus pensamentos...

Caríssimos, portanto, cuidado!

Não se esqueçam das tantas vezes que já falei para vocês há quem muito foi dado, muito será cobrado...

Cuidado! Porque quem não quer Deus, quer se afastar d’Ele está "doente" (seja físico, psíquico ou espiritual)... Quando nos afastamos da fila da comunhão, começamos a nos encaminharmos para a solidão... para a escuridão... e isso é sinal de "doença espiritual"...

Para voltamos a fila da comunhão, basta querermos e irmos, se alguém da fila te magoou – PERDOA - tenha caridade (se houve palavras ditas ou não ditas) – PERDOE - ... VOCÊS JÁ APRENDERAM A SE COLOCAR NA POSIÇÃO DE JESUS (agir como ele agiu)...

Os mistérios dolorosos do terço começam com a "AGONIA" de Jesus no horto das oliveiras... AGONIA POR QUÊ?

Porque enquanto Ele era tentado, os Apóstolos dormiam tranquilamente... e Ele por mais de uma vez veio lá e os acordou (ei, não podem vigiar comigo sequer uma hora?)...

E, hoje será que Jesus (na pessoa do outro) não está sendo "tentado"... e nós na condição dos Apóstolos preferimos dormir e ficarmos tranquilos na sua ausência?

Se continuarmos assim, nós estamos fora da fila da comunhão... Porque se comungarmos nessa situação, estaremos em situação de "pecado grave"...

Por isso ser cristão é não é fácil...

PENSEM E FALEM COM O CRISTO (O QUE ELE ME DIZ NESSE MOMENTO... NO SILÊNCIO.... NA RESPOSTA...), PENSANDO NA SUA MENSAGEM E NA NOSSA MISSÃO!

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

A alegria de perdoar e sermos perdoados.

Por Diácono Carlinhos

Querendo continuar partilhando com vocês o eu estou vivendo aqui no Retiro do Clero em Vale Vêneto , onde o pregador Dom Paulo de Conto, na meditação de agora a tarde, abordou o tema: “A misericórdia de Deus e a alegria de se perdoar e ser perdoado”.

O pregador nos dizia: “quem sabe pedir e sabe dar perdão, tem um coração como o de Deus, misericordioso.”

Com o tempo a repressão desse sentimento (não dar ou pedir perdão) nos degenera, nos deixas tristes, amargos e doentes, tanto físico, quanto psíquico e espiritual. Portanto, se não quiser adoecer fale dos seus sentimentos que estão escondidos. Vamos desabafar, vamos abandonar o orgulho, a lamentação, a murmuração, o pessimismo e vamos partilhar o nosso sentimento, nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados...

Não fique na dúvida, para fazer é preciso “QUERER” e “IR”, então vá!

Se não quiser adoecer, perdoe e seja perdoado!

Não perca uma amizade verdadeira, por um sentimento mesquinho, de vaidade, pobre e orgulhoso. Tenha um coração como o de Deus: perdoe e seja perdoado!

Se não estiver em paz com teu irmão, não estarás na fila da Comunhão... sem esse alimento espiritual ficamos fracos e vazios de Deus e por conseqüência doentes.

No Evangelho de São Lucas 15, 11-32, temos a passagem do “Filho Pródigo” ou do “Pai Misericordioso” como também é conhecida essa parábola.

Vejam que o filho pródigo teve que tomar a decisão de “querer” e “ir” – “VOU LEVANTAR-ME, VOU TER COM MEU PAI”...

Se te sentires melhor, faz por escrito. Hoje temos os meios eletrônicos (e-mail). Essa semana pelo fato de estar aqui onde não tem sinal de telefone, além da distância física, mandei um pedido de desculpas e de perdão com 5 (cinco) folhas.

Pois me fez muito bem e também para a pessoa a quem escrevi. Pude abrir meu coração.

Se te sentires melhor, faça o mesmo, primeiro faz uma ORAÇÃO, depois faz uma MEDITAÇÃO de como está teu coração agora neste momento (sofrido, dolorido, machucado, raiva, ódio, rancor...), depois vai escrevendo tudo o que tu sentes que está dentro do teu coração... coisas boas, ruins, momentos que viveram juntos, alegrias, tristezas, sucessos e insucessos...

A pessoa que recebe uma carta dessas não deve responder imediatamente, também deve fazer uma oração, uma meditação... Não contra-argumentar, mas sim, com muita caridade e amor fazer como fez o PAI MISERICORDIOSO do Filho Pródigo... não condenou, não argumentou... pelo contrário, ABRIU OS BRAÇOS, ACOLHEU, FICOU MUITO FELIZ e DEU UMA FESTA!

Faça isso! Escreva... Se a distância física ou relacional ou as circunstancias não permitem uma aproximação, escreva, faça uma longa carta, assim como eu fiz... 5 (cinco) folhas... te dou a mais absoluta certeza que VAI AJUDAR NA TUA CURA! E principalmente porque isso nos ASSEGURA O CAMINHO DE VOLTA!

Pense nisso!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

COMO ESTÁ SUA SAÚDE? – TEM CERTEZA!

Por Diácono Carlinhos

Este foi um dos temas da palestra proferida hoje pelo nosso pregador do Retiro do Clero, aqui em Vale Vêneto , Dom Paulo de Conto: “Como está sua saúde? Tem certeza!”

Certamente vocês pensaram na saúde física e em decorrência disso deram a resposta. Mas quando se fala em saúde o termo é mais abrangente, ou seja, como está sua saúde psicológica? Como está sua saúde espiritual? A saúde de um estado depende do outro. Deus nos deu esse corpo como presente, não podemos desprezá-lo, descuidá-lo, depreciá-lo ou maculá-lo.

Devemos cuidar da nossa saúde física, psíquica e espiritual. E se você acredita estar doente em um desses estados, não tenha vergonha, não tenha medo, peça ajuda de um familiar, de um amigo ou do seu orientador espiritual.

Não esqueça também que somos responsáveis pela saúde de nossos irmãos.

“Às vezes na doença de um, acontece a “santificação” do outro ou do grupo. Agora, no abandono não! Por isso o verdadeiro cristão percebe Jesus no outro que sofre e o ajuda a carregar sua cruz. Cuida, zela, acolhe e conforme ele mesmo nos ensina, se for preciso vende tudo para cuidar desse tesouro, vende tudo para adquirir essa pérola, ou seja, abandona todos os projetos do mundo para estar com esse, desce do egoísmo, desce do orgulho, desce da vaidade e vai ao encontro daquele que sofre... pois estará indo ao encontro de Deus. Não seja rei, não seja príncipe... seja servidor.”

E o pregador concluiu: “Atirar pedras é fácil; criticar é fácil; quebrar a vidraça e condenar é fácil... porém, difícil é cuidar, difícil é tratar as feridas, aceitar o outro com sua enfermidade, defender o outro, colocar-se na frente das pedras que lhe são arremessadas... por isso ser cristão é tão difícil, por isso que São João diz que o cristão não pode ser morno, tem que ser quente, pois se for frio não é cristão. É preciso ser solidário, sendo que solidariedade não é apoiar o erro, mas é estar ao lado, é ajudar, acolher, escutar,...”

Quer a tua santificação?

Cuida do outro! Cuida do doente...

Mas como saber se meu irmão está doente?

Começa observando os sintomas:

· Ele está buscando a solidão e o isolamento?

· Está demonstrando tristeza a maior parte do tempo?

· Perdeu o interesse pelas pessoas ou atividades que gosta e executa?

· Ganhou ou perdeu peso significativamente recentemente?

· Tem problemas para adormecer ou dorme demais?

· Começa a fugir e divagar nos pensamentos?

· Demonstra cansaço e está desmotivado muito tempo?

· Não se concentra mais em suas atividades?

· Não cumpre horário e compromissos pré-estabelecidos?

· Fica dispersivo e às vezes demonstra tentar chamar a atenção?

· Começa achar que tudo e todos os programas são ruins?

· Chora ou ri muito a qualquer momento?

· Indispõe-se facilmente com as pessoas?

· Opta mais pelas relações virtuais do que físicas e reais?

· Acha-se indigno ou que não é amado?

· Fica extremamente agressivo com as pessoas de seu convívio?

· Passa ser hostil e ofensivo?

· Tenta ficar afastado do familiares e velhos amigos?

· Tenta fazer ou resgatar velhas relações de amizades?

Cuidado! Se tu te enquadras em vários destes perfis, não te constrange, busca ajuda, conversa, fala, procura tua cura... sozinho tu não vais conseguir. Esse é o momento. Essa é a hora. Não deixa para depois, faz isso hoje, não tentas fugir do problema, pois ele vai te acompanhar... toma consciência do teu quadro e busca tua cura.

E a ti, amigo/irmão se teu amigo apresenta vários quadros dessa indicação, ajude-o, seja solidário, não te afasta, porque provavelmente está doente e está sofrendo. Empresta teu ombro. Ajude-o a carregar a sua cruz, seja seu anjo, seja seu sirineu...

Mostra afeto, carinho, amor incondicional... (não exige nada em troca). Não faça cobranças, não o julgue, não o condene, seja cristão... pois se abandoná-lo nesse instante, tu não estarás em comunhão com Deus e com a Igreja.

Seja seu confidente, compartilhe sentimentos, seja seu colaborador, seja seu legitimo amigo/irmão, não esquecendo que para quem está doente é difícil interagir com os outros. Às vezes faz isso até numa tentativa de proteger o amigo. Não permitas que teu amigo vá para a solidão, que ele vá para o isolamento, que entre para dentro da escuridão... mostre o quanto ele é importante para ti... que vê-lo assim também te faz sofrer, trás para perto, coloca no colo, faz uma declaração de amor, vão para o Sacrário, falem com Deus, manda flores, escreve uma carta, manda um depoimento, não desista de seu amigo. Porque se tu desistires dele, estarás desistindo de Deus, assim como fez o Levita e o Sacerdote na passagem do Bom Samaritano.

Pensem nisso!

Em que situação eu estou?

Quem não reza vira bicho

Por Diácono Carlinhos

Este foi um dos temas abordados pelo pregador do Retiro do Clero, aqui em Vale Vêneto , Dom Paulo de Conto: “quem não reza vira bicho”.

Ele falava, não de um rezar por rezar, uma oração elaborada, dita da boca para fora, mas de uma oração que vem do coração. Uma oração que mesmo rezada sozinho fisicamente, estamos na presença de todos, pela união que há no coração, isso é a verdadeira comunhão que existe entre os irmãos.

A verdadeira oração deve nos causar “inquietação”, pois deve levar a reflexão se eu estou em paz comigo mesmo, se eu estou em paz com meus familiares, se eu estou em paz com meus amigos, se eu estou em paz com os meus irmãos, pois só se eu estiver em paz com todos eles, eu realmente estou em Deus.

O pregador nos assegurava que não devemos rezar “PARA e PELOS OUTROS”, mas sim que devemos rezar “COM OS OUTROS”, que isso é possível na cozinha, no banheiro, no trabalho, na sala de aula, DESDE QUE EU ESTEJA EM PERFEITA COMUNHÃO COM TODOS.

Aquele que não reza COM OS OUTROS, reza sozinho ou não reza e se não reza vira bicho. Por isso devo evitar a SOLIDÃO, uma das primeiras providencias adotadas pelo demônio é me convencer de que devo ficar sozinho. Que se não estou bem, devo buscar o isolamento, a solidão. O demônio me diz que eu não preciso dos outros, portanto, solidão passa ser sinônimo de doença, sofrimento e ausência de comunhão.

Não deixe o demônio vencê-lo, DIGA NÃO A SOLIDÃO, saia do seu quarto, saia da escuridão, procure gente, procure amigos, vá ao encontro de Deus que está sofrendo, no doente, no preso, na criança abandonada...

Não basta ir ao templo, cristão morno não existe, é preciso ir a Igreja e para ir a Igreja eu devo estar em COMUNHÃO com todos, senão sequer devo COMUNGAR. Disse Jesus: “ deixa ai a tua oferta, vai lá e te reconcilia com o teu irmão” daí sim, depois dessa atitude de reconciliação, de perdão e de perfeita comunhão com Deus e meus irmãos devo comungar.

Quem não reza vira bicho!

Não um rezar por rezar, mas um orar com ação, uma oração de ir ao encontro de Deus, através do outro, isso é sinal de CONVERSÃO.

Agora falo de mim. Não das palavras do pregador, mas da falta que faz a oração. Recentemente vivi dias de angustia espiritual, busquei a “solidão”, o “isolamento”, senti “o medo de perder”, busquei me afastar, mas tenho a mais absoluta certeza de que isso só me fez mais mal. Graças a Deus perto de mim havia pessoas que não me abandonaram, perto de mim havia anjos e sirineus.

Devemos ter muita cautela, para realmente termos consciência de que estamos doentes, SOLIDÃO e ISOLAMENTO, são sinais claros desse quadro. As vezes sentimos dores no peito, ficamos zangados com Deus, zangados com todos a nossa volta, zangados com os amigos e familiares, zangados com o mundo... porém, nesse momento somos convidados a vermos o quanto nós somos vulneráveis e vemos na vida da gente o quanto precisamos dos outros.

Quanto mais nos isolamos, mais para dentro de nós nos entramos, quanto mais avançamos dentro da escuridão, mais difícil fica de sairmos e mais fácil é do mal nos dominar.

Quem não reza vira bicho! Então vamos rezar, mas fazer da reza uma oração, uma prática de partilha e de verdadeira comunhão.

Bem aventurados os que contemplam a obra de Deus. Diga mais: “Eu ti amo”; “Eu me importo contigo”; “Nunca vou te abandonar, mesmo que me peças, porque tu estás dentro do meu coração e de lá eu não posso te tirar”; “Ta certo! Eu fico quieto, mas não fica sozinho, deixa eu ficar contigo aqui do teu lado”; “Me dá a tua mão”; “Tu és muito importante para mim”; “Vamos caminhar? Tomar um sorvete?”...

Assim, fazendo tudo isso eu posso ir tranquilamente para a fila da comunhão, pois assim como propôs Nossa Senhora: “EU FIZ TUDO O QUE ELE ME PEDIU!” e não esqueçam, quem não reza vira bicho, mas não rezar por rezar, mas sim fazer da reza uma oração, pelo perdão, pelo acolhimento, pelo carinho, pelo amor... pense nisso!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Jovens, precisamos de Santos! (Papa João Paulo II)

(Entre parênteses são as nossas observações e contemplações)

Precisamos de Santos sem véu ou batina.

(Sim, jovens Santos que andam no meio de nós)

Precisamos de Santos de calças jeans e tênis.

(Sim, jovens Santos que sejam assim como vocês são)

Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos.

(Sim, jovens que levam uma vida normal, mas sabem e respeitam os preceitos estabelecidos por Deus)

Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se "lascam" na faculdade.

(Sim, jovens que sabem o que querem da vida, que possuem projetos, sonhos e aspirações, não são alienados... até nossa inteligência nos foi alcançada por Deus)

Precisamos de Santos que tenham tempo todo dia para rezar e que saibam namorar na pureza e castidade, ou que consagrem sua castidade.

(Sim, jovens que não tenham vergonha de dizerem que são virgens e por isso são especiais. Que não se esqueçam de que seus corpos “SÃO TEMPLOS DO ESPÍRITO SANTO”, que ao não respeitarem isso profanam o TEMPLO DE DEUS. Que lembrem sempre dos ensinamentos de Deus, o qual nos ensina que sexo é depois do “matrimônio”, para aqueles que optarem pela vida matrimonial e a castidade para aqueles que consagrarem suas vidas como sacerdotes ou religiosas/religiosos)

Precisamos de Santos modernos, santos do século XXI, com uma espiritualidade inserida em nosso tempo.

(Sim, que saibam fazer uma boa atualização do que está na Palavra de Deus e as propostas do mundo de hoje, mas que façam exatamente aquilo que Ele propõe, para isso não precisam ser alienados)

Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças sociais.

(Sim, Santos que queiram corrigir a injustiça social do mundo atual e que para isso sejam líderes dentro do contexto onde vivem e mesmo apesar de suas juventudes já estejam transformando a realidade social onde habitam)

Precisamos de Santos que vivam no mundo, se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo.

(Sim, jovens que estejam na escola, no grupo social, na praça, nos parques, etc, mas que não sejam ídolos do TER, PODER e PRAZER, conforme a proposta do mundo)

Precisamos de Santos que amem apaixonadamente a Eucaristia e que não tenham vergonha de tomar um refrigerante ou comer uma pizza no fim de semana com os amigos.

(Sim, jovens que “participem” da Missa e não apenas “vão” na Missa. Jovens que saibam o valor deste “alimento” espiritual e que sintam falta do mesmo, tanto quanto sentem do alimento físico no dia a dia).

Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de esporte.

(Sim, para ser Santo o jovem não precisa viver em clausura, mas saber exatamente o que é “certo” e o que é “errado”, optando sempre pela primeira opção, ou seja, “o CERTO”)

Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros.

(Sim, Santos que sabem construir amizades, na verdade, verdadeiras irmandades, pessoas que se curtem, se respeitam, se amam e que passam ser legítimos AMIGOS/IRMÃOS)

Precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos".

(Sim, que sejam apóstolos dos jovens. Que não se curvem às vontades do mundo mundano. Que não relativizem os ensinamentos de Deus, ou seja, que façam tudo o que Deus manda e não somente aquilo que não afeta a sua vontade ou o seu desejo. Que não se curvem aos ídolos do TER/PODER/PRAZER. Que não sejam escravos da estética. Que não usem drogas. Que não se curvem aos desejos do sexo livre e irresponsável. Que vivam um namoro “Santo Católico”. Que sejam realmente felizes e não apenas vivam momentos de alegria e de falsa felicidade. Que façam seus pais felizes. Que sejam responsáveis. Que possuam valores morais, éticos e de integridade... Que sejam contra o aborto, a eutanásia, a corrupção...)

  • Tens sabido viver tua santidade?
  • O qual está faltando?
  • Tens respeitado teu corpo, tua vida e tua saúde?
Depois de ter começado a seguir os ensinamentos de Deus, tens sido mais feliz?

terça-feira, 9 de novembro de 2010

TERRA DE SANTA CRUZ!

Pe. Zezinho, scj

O Brasil já teve este nome. Era dedicado à memória da cruz. Continua ser terra de santas cruzes e de tantas cruzes porque há milhões de brasileiros crucificados no isolamento, no preconceito, no desemprego, nas drogas, em lares desfeitos e no abandono. São cruzes visíveis, patentes.

Alguns se autocrucificaram, mas a maioria foi crucificada, não teve oportunidade, nem lar, nem escolas e ninguém foi até eles. Não sabem o suficiente para sair da sua situação.

O país tem exigências que eles não conseguem cumprir faltaram-lhes escolas, ou família ou uma boa igreja. São os brasileiros crucificados.

Nossas leis os esqueceram, nossa justiça não lhe fez justiça, nossas igrejas nem sempre os acolheu, nossos políticos nem sempre os defendeu ou representaram. O fato é que de geração após geração eles não conseguiram sair da pobreza na qual nasceram.

Um dia o Brasil será uma nação pensada e organizada para todos. Agora é uma nação que beneficia quem já tem. Excepcionalmente, em algum programa dá remédios ou comida para os mais pobres, mas não lhe dá oportunidade de emprego.

Somos vítima da conjuntura internacional, mas somos também vítimas da conjuntura estruturais que tem mantido o Brasil sobre frágeis estacas há séculos. Nossos fundamentos não são sólidos. Não fomos e não somos um país pensado para todos. O jantar é ainda de quem chega primeiro, pegam sempre os melhores pedaços e o que sobra vão para a maioria que chega depois, por que não tem como chegar na hora. Faltou a escola.

E no carro do país, a escola seria o acelerador, a falta de escola e de família seria o freio. Apesar dos esforços de alguns governos, o país continua de freio de mão puxado. Direitos humanos e justiça distributiva ainda são palavrões no Brasil.

Num país onde muitos ricos e muitos religiosos acham que o outro é menos, vai ser difícil criar uma democracia sólida, as cabeças estão impregnadas na mais valia.

O Brasil vai mal por causa dessas duas frases: sou mais escolhido que você. Valho mais que você.

Entre nós o verbo TER continua mais forte do que o verbo SER.


Sendo um jovem líder cristão posso mudar essa situação? Como?
Vamos debater isso aqui no blog. Faça seu comentário.