quinta-feira, 29 de julho de 2010

Arraiá do CLJ


Uma tarde repleta de muita diversão. Assim pode ser definida a Festa Julina do pós-CLJ, realizada no dia 24 de julho. Cerca de 30 jovens compareceram. Entre os participantes, a agradável surpresa foi a presença do Tio Salvador, Tia Ana, Carol e Ju, da Paróquia Nossa Senhora dos Anjos de Gravataí. A família estava de passagem por Cachoeira e resolveu dar uma passada no pós. Escolheram o dia certo, pois sem dúvida a tarde foi muito divertida.

Praticamente todos do pós estavam vestidos a rigor, com direito a até pintinhas no rosto. E a festa também contou com brincadeiras típicas dos festejos juninos como dança da cadeira e corrida do ovo. Além disso, também teve a apresentação do casamento caipira, em que até o presidente do CLJ se revelou...

Outra atividade foi um quis que testou os conhecimentos do jovens acerca da Igreja Católica, movimento CLJ. Também foram testados os dons artísticos do pessoal, como declamar o hino do CLJ.

As atividades quiz, dança da cadeira e corrida do ovo fizeram parte de uma gincana realizada durante a tarde. Os jovens foram divididas em duas equipes: azul e amarela. E a vencedora foi a equipe azul com quase cinqüenta pontos de diferença da concorrente.

Além de muita brincadeira, a galera também caprichou no lanche. E como era Festa Julina teve muita pipoca, pinhão, carrapinhada e pé-de-moleque.A sala do CLJ também foi toda decorada pelos jovens que durante a semana se empenharam em fazer banderinhas e correntes para enfeitar o local.

Depois de muita diversão, o pessoal continuou na paróquia para participar da missa das 18h30min que era de responsabilidade do CLJ.

As fotos de todo esse festerê você confere em: www.flickr.com/photos/47518165@N05/

terça-feira, 27 de julho de 2010

Sorriso grátis para os pacientes do HCB





Para quem está internado em uma casa de saúde, qualquer sorriso, brincadeira ou palavra de apoio pode ser o diferencial para lutar contra a doença ou se entregar à enfermidade. Levar alegria, música e diversão vem sendo a tarefa dos voluntários do curso de liderança juvenil da Igreja São José através do projeto Sorriso Grátis. Com o apoio da Pastoral Hospitalar, Diuly Bittencourt, 15 anos (coordenadora do projeto), Jéssica Machado, 17, João Antônio Porciúncula, 17, Jéssica Bittencourt, 17, e Taylor Bulsing, 14, estão indo todas as quintas-feiras à tarde ao Hospital de Caridade e Beneficência (HCB) para levar música, palavras de apoio e brincadeiras para quem está internado.

Acompanhados do diácono Carlinhos Machado e da coordenadora da Pastoral Hospitalar, Mônica Mello, os adolescentes brincam com as crianças que estão na pediatria e visitam também os pacientes adultos que estão acamados. A alegria das crianças ao vê-los vestidos de palhaço com roupas alegres e coloridas estimula para que os pequenos sorriam e comecem a brincar. Foi o que aconteceu com a pequena Mikaela Menezes Orquiz, de 11 meses. Internada devido a uma pneumonia, mesmo no colo da mãe, Kaiane, fazia esforço para pegar o nariz e os chapéus dos palhaços. Não demorou muito para conseguir tirar um sorriso da pequena.

NOVO ÂNIMO - A auxiliar administrativa Adriana Machado Moraes, que estava acompanhando seu filho Marcus Vinícius, de 1 ano e três meses, há quatro dias na pediatria do HCB devido a uma pneumonia, acredita que este tipo de trabalho realmente faça diferença com as crianças internadas. “Eles brincam com eles e as crianças já mudam. Elas ganham novo ânimo”, afirma a mãe. Nos quartos visitados pelos voluntários era fácil ver também o sorriso no rosto dos pacientes e familiares que os acompanhavam. “A felicidade e a alegria que estes jovens despertam através da música que cantam e das orações que fazem ajudam na recuperação dos pacientes e alivia o ambiente hospitalar”, observa Mônica.

Comentários no Fórum do Leitor

27/07/10 10:25

Sorriso

Parabéns a este grupo de jovens que se propôs a amenizar a dor destribuindo sorrisos.
Continuem assim. Pessoas como vocês fazem a diferença , em um mundo individualista como estamos vivendo.
Que Deus os abençõe.


EVANIR JACOBI - Porto Alegre/RS (Brasil)
(Clique aqui para ver outros comentários do mesmo autor)

27/07/10 10:25

Projeto Maravilhoso - Sorriso Grátis

Parabéns pessoal! Este projeto é maravilhoso, é emocionante receber a visita deste grupo, chegam com tanto carinho e alegria que não tem como não nos emocionar e se encantar com eles. Estive com minha filha hospitalizada semana passada, e foi um grande prazer receber a visita no quarto, nos trouxe muita alegria.


Mariá Raquel Pohlmann da Silveira - Cachoeira do Sul/RS (Brasil)

quarta-feira, 21 de julho de 2010

A graça de perseverar

Pe. Zezinho

Volúvel é o ser humano. Não se fixa em muitas coisas. Muitas vezes se fixa é no pecado, no qual não deveria perseverar enquanto abandona e trai a virtude, esta sim, motivo para perseverar. Não poucas vezes, o casal começa com juras de amor e de carinho eterno. Vem a dificuldade e um deles desiste. Pai ou mãe chora de emoção com o nascimento do filho no hospital. Vem a dificuldade e ele ou ela acaba fugindo de casa, sem o filho por quem chorou no dia do nascimento.

O religioso se compromete, faz os votos. Vem a dificuldade e ele opta por outro caminho. Não estava mais agüentando aquele sacrifício. Descobriu que não estava pronto para tamanho peso. Assim, os que trocam de empresa, de profissão, de amor, de família! Todos eles seguiram outro caminho, ou porque o achavam melhor ou porque o outro estava difícil demais.

Ninguém pode condenar alguém porque mudou. Sem conhecer todos os porquês, não há como emitir um julgamento. Na verdade, jamais conheceremos todos os porquês de uma pessoa.

Fato é fato. A nossa é uma sociedade em que pouco se favorece o dom da perseverança. Pelo contrário, muitíssimas mensagens sugerem que se busque o novo. Embutido na proposta, o conselho de que quando as coisas ficam difíceis não faz sentido continuar... É graça que se deve pedir.

E você?? O que entendeu deste texto? Comente.


segunda-feira, 19 de julho de 2010

O barbeiro e Deus.


Um homem foi ao barbeiro para cortar o cabelo como ele sempre fazia. Ele começou a conversar com o barbeiro e conversaram vários assuntos.
Conversa vai, conversa vem e eles começaram a falar sobre Deus.
O barbeiro disse:
- Eu não acredito que Deus exista como você diz.
- Porque você diz isto? - o cliente perguntou.
- Bem, é muito simples. Você só precisa sair na rua para ver que Deus não existe. Se Deus existisse, você acha que existiram tantas pessoas doentes? Existiriam crianças abandonadas? Se Deus existisse, não haveria dor ou sofrimento. Eu não consigo imaginar um Deus que permite essas coisas.
O cliente pensou por um momento, mas ele não quis dar uma resposta para prevenir uma discussão. O barbeiro terminou o trabalho e o cliente saiu. Neste momento, ele viu um homem na rua com barba e cabelos longos. Parecia que já fazia um bom tempo que ele não cortava o cabelo ou fazia a barba e ele parecia sujo e arrepiado.
Então o cliente voltou para à barbearia e disse ao barbeiro:
- Sabe de uma coisa? Barbeiros não existem.
- Como assim eles não existem? - perguntou o barbeiro.
- Eu estou aqui e eu sou um barbeiro.
- Não! - o cliente exclamou. Eles não existem, porque se eles existissem não existiriam pessoas com barba e cabelos longos como aquele homem que está andando ali na rua.
- Ah, mas barbeiros existem, o que acontece é que as pessoas não me procuram e isso é uma opção delas.
- Exatamente! - afirmou o cliente.
- É JUSTAMENTE ISSO. DEUS EXISTE, O QUE ACONTECE É QUE AS PESSOAS NÃO O PROCURAM, POIS É UMA OPÇÃO DELAS, E É POR ISSO QUE HÁ TANTA DOR E SOFRIMENTO NO MUNDO!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Tempo é dinheiro

Dom Anuar Battisti - Arcebispo de Maringá

Você já ouviu ou talvez já usou esta expressão, que pode ser interpretada como valor do precioso tempo que temos, como também no sentido de não perder tempo em acumular riquezas, na pretensão de garantir o futuro. Estamos numa grande encruzilhada, onde as coisas parecem ser o que de mais importante possuímos e com elas a preocupação em acumular sempre mais. Como seria bom se fosse possível parar o tempo! Esse é o grande desejo do ativismo desenfreado, desumano e estressante do homem moderno.

A ação, o agito é a marca número um de quem tem o tempo como dinheiro. Tão pobre porque só tem dinheiro. A outra opção nesta dupla via da vida é a capacidade de contemplar. Mesmo mergulhado nos afazeres do ativismo de cada dia, ainda saber ouvir, aquietar o coração, buscar o silêncio do quarto ou do templo para orar, para respirar com plenos pulmões a verdadeira vida.

Esse dilema moderno já foi vivido por duas mulheres no tempo de Jesus. Foi lá em Betânia, na Palestina, em casa de Marta e Maria, que o dilema da ação e da contemplação, da ação e da oração se encontraram, revelando duas dimensões essenciais da vida humana.

Diante da justa preocupação com visita tão nobre em casa, Marta, mulher dedicada, serviçal, preocupada em oferecer o melhor para o Mestre que naquele dia escolheu a sua casa, corre e se agita com os afazeres, perde a paciência e reclama: “Senhor, não te importa que minha irmã me deixe sozinha com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!” (Lc 10,40). Expressão típica do ativista, daquele ou daquela que não sabe ver outra coisa a não ser o serviço, por mais importante que seja.

Ao lado, se vê Maria sentada aos pés do Mestre, ouvindo. Atitude típica de quem sabe parar, silenciar a mente e o coração para carregar as baterias a fim de não faltar energia para uma atividade fecunda e gratificante. Essa energia não se encontra em lugar nenhum a não ser na constante união com o Criador na oração. Saber orar é estender a mão a Deus e amar, é abrir os braços solidários a todas as pessoas.

Jesus responde à agitada mulher dona da casa: “Marta, Marta você se preocupa com muita coisa; uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte, que nunca lhe será tirada” (Lc 10,41). Marta, agitada com as coisas, parecia ver Maria perder tempo. Para o ativismo dos dias atuais não é diferente. Não se tem tempo para estender as mãos a Deus, não se tem tempo para amar, para estender os braços às pessoas que conosco fazem o mesmo caminho.

Embriagados pela ideologia do capital, muitos se esquecem que “uma só coisa é necessária e essa não será tirada”. O nosso caixão não tem gavetas, na casa do Pai só há lugar para quem sabe orar e amar. São João Maria Vianey dizia: “Essa é a mais bela profissão do homem: rezar e amar”. Como seriam diferentes as relações nas famílias, nas empresas, nos hospitais, nos consultórios médicos, nas escolas, nas universidades, nas Igrejas, na convivência diária, se as pessoas soubessem o valor da oração e da contemplação.

O sentido profundo dos nossos afazeres, trabalhos e luta pelo pão de cada dia, que não pode ser menosprezado, está no equilíbrio entre a agitação e a constante união com Deus. Esse é o tempo que vale a eternidade!

Fonte: /www.cnbb.org.br/site/articulistas/dom-anuar-battisti/4106-tempo-e-dinheiro

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Uma vida de dedicação aos jovens

Diácono Carlinhos Cardoso Machado reserva todo o seu dia para reprimir uso de drogas e álcool

Matéria publicada no Jornal do Povo hoje




O 1º tenente da reserva da Brigada Militar, Carlos Idelfonso Cardoso Machado, 45 anos, há vários anos via a necessidade da prevenção e da recuperação dos jovens envolvidos com drogas. Há três anos ele decidiu que um dos caminhos para desenvolver um trabalho voluntário para atingir estas pessoas era se tornando um diácono. Agora, atuando na Paróquia São José, diácono Carlinhos como é conhecido, dedica 24 horas do seu dia a atender jovens que precisam de ajuda espiritual e para formar líderes que possam disseminar boas práticas entre os integrantes dos seus grupos. Agora, aposentado há seis meses, Carlinhos, que é cachoeirense mas atuava em Porto Alegre, divide seu tempo entre o trabalho com as pastorais da família, jovens e cerca de 20 diferentes pastorais sociais e as visitas a clínicas, fazendas e hospitais.

Diácono Carlinhos está sempre em busca de atendimento aos jovens que perdem o rumo devido ao álcool e as drogas. Quando estava na Brigada, Carlinhos já atuava na repressão contra às drogas. Foi ai que ele começou a se aperfeiçoar no assunto. “Hoje conduzo eles ao Amor Exigente, Alcoólicos Anônimos e Narcóticos Anônimos, ofereço atendimento e orientação, busco internação através da Secretaria Municipal de Saúde. Estou sempre presente quanto algum pai me chama, pode ser o lugar e a hora que for”, observa ele. Para evitar que o caminho dos jovens seja o das drogas e do álcool, Carlinhos acredita que a melhor alternativa seja a prevenção, que acontece dentro das escolas. Em média, ele ministra 10 palestras por semana, sempre abordando o assunto de formas diferentes de acordo com a faixa etária dos alunos. Atualmente, o bullying (agressões e brigas no ambiente escolar) também tem sido assunto recorrente nas palestras.

PAIS - Casado há 24 anos com Teresinha Machado, que também atua como ministra na Igreja Católica, e pai de uma menina de 17 anos, diácono Carlinhos afirma que a figura da família é fundamental para manter os jovens longe dos entorpecentes. “O problema atual está ligado a questão de valores. A ausência dos pais e a falta de limites imposta a gurizada é um grande impasse a ser resolvido. Muitos pais têm hoje indefinidos seus valores comportamentais. Muitos não sabem o que é certo e o que é errado para a educação de seus filhos”, lamenta ele.

Jovens líderes para bons exemplos


Jovens líderes: grupo se encontra duas vezes por semana na São José

Uma das preocupações do diácono é formar jovens líderes que sejam referências na suas famílias e no ambiente em que estão inseridos como escolas, boates. “Nosso projeto é mostrar que é possível ser feliz de cara limpa, conviver bem com os amigos e colegas”, observa Carlinhos. O grupo de jovens líderes se reúne duas vezes por semana. Nas quartas-feiras, após a missa das 18h30min, eles debatem o tema da celebração do dia. Nos sábados à tarde, quando o grupo é maior, eles abordam assuntos bem mais abrangentes como paternidade responsável, sexo, casamento, namoro e qualquer outro tema que seja atual e desperte o interesse da gurizada.
O adolescente Taylor Bulsin de Oliveira, 13 anos, está há um ano frequentando o grupo de jovens líderes e afirma que adora os encontros. “Saio da escola e venho direto para a Igreja. Gosto muito de vir para cá”, conta ele, para alegria do seu pai, o empresário Fábio Garin que diz ser "uma benção ver o filho feliz”. Carlinhos explica que a ideia é mostrar a realidade ao jovem e evangelizá-los, pois evangelizar os pais, que já são adultos, é bem mais difícil.

Espiritualidade é fundamental

O diácono Carlos Idelfonso Cardoso Machado destaca que a presença espiritual é fundamental para a recuperação de quem se torna dependente químico. “Nós levamos a palavra de Deus e respeitamos qualquer opção espiritual. A fé é fundamental também na prevenção. Quem está dentro da Igreja não vai para as drogas”, enfatiza ele. Hoje cerca de 600 jovens são atendidos nos projetos liderados pelo diácono.
Carlinhos destaca que existem três estágios relativos às drogas. O primeiro é prevenção, que segundo ele é o que recebe os menores investimentos. Depois disso vem a repressão, quando já é necessário a intervenção da Polícia e Judiciário. O último é a recuperação do dependente.


Importante

Além da coordenação do trabalho com jovens e das pastorais sociais, diácono Carlinhos ainda coordena o grupo Bom Pastor, onde se reúnem casais de segunda união e do Encontro de Casais com Cristo da Paróquia São José (ECC).

24 de julho: dia de arraiá no CLJ


O mês dos festejos de São João já passou, mas isso não é motivo para deixar as comemorações de lado. No dia 24 de julho será a Festa Julina do CLJ, com direito à pipoca, quentão - sem álcool -, brincadeiras e até casamento caipira. O evento é uma promoção do departamento de Bem-estar em parceria com o Cultural.

A festa começa às 14h do sábado e ocorrerá no lugar da reunião de pós. Porém, os festejos tem hora para acabar, já que neste dia a missa das 18h30min da Paróquia é de responsabilidade do CLJ.

Entretanto, o tempo que teremos será de bom tamanho para se divertir muito e mostrar que jovem cristão também faz festa. Portanto, vão preparando as fantasias caipiras.

domingo, 11 de julho de 2010

A agulha

por Mons. Elcy Arboith

Uma peça de fazenda estava na prateleira, desejosa de ser transformada em roupa. Sentia que nascera para agasalhar alguma pessoa. Ali, guardada, era inútil e frustrada. Seu destino se concretizava numa roupinha gostosa para envolver o corpo de alguém, defendendo-o do frio ou do calor. Como não era capaz de agir só, convidou o carretel de linha para que juntasse os detalhes, tão logo a tesoura realizasse seu trabalho. O carretel desculpou-se dizendo que sua linha não era suficientemente rígida para furar as peças e uni-las; necessitava da da agulha para realizar tarefa tão nobre. A fazenda, a tesoura e o carretel de linha foram conversar com a agulha. Ela lhes disse que só concretizaria a obra pela mão da costureira.

A equipe foi formada pela fazenda, pela tesoura, pelo carretel de linha, pela agulha e pela costureira e, em mutirão, a roupa foi feita com utilidade e graça. A obra não foi fácil e nem sem dor: primeiro o pano foi cortado aos pedaços, foi perfurado pela agulha e rejuntado pela costura; mudou sua forma até tornar-se o modelo sonhado. Só então se sentiu realizado. No contato com o corpo humano, sentindo-lhe a gratidão, chegou à razão da sua existência.

Quando me foi revelado que Deus é um em três pessoas, entendi que nada, no mundo, se faz por mãos de um só humano, mas na parceria e que o exercício da parceria já é uma forma de se viver! Nem mesmo Cristo nos quis isolados, mas nos fez Igreja.

Ninguém subsiste só. O isolamento é sinônimo de inutilidade e de morte e Deus nos fez para a vida!

sábado, 10 de julho de 2010

Promoções humanas realiza projetos

Campanha do agasalho e reciclagem de óleo de cozinha são as primeiras atividades do Departamento de Promoções Humanas do CLJ. As propostas foram anunciadas hoje, 10/07, na reunião de pós. Conforme a coordenadora do departamento, Diully Bittencourt, as roupas devem ser arrecadadas pelos jovens. A comunidade que arrecadar mais peças ganhará um prêmio.

Já à reciclagem de óleo de cozinha será feita pela Pastoral Social da Paróquia. A tarefa dos jovens é também recolher o resíduo de suas casas, que será transformado em sabão pela Pastoral. Depois de pronto os sabãos são doados para famílias carentes.

As datas de entrega tanto das roupas quanto do óleo serão avisadas no pós. Mas a ideia é que cada um já comece recolher o quanto antes o solicitado. Vamos começar a AGIR pessoal.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Jesus Cristo - Nosso maior líder

Para sermos grandes líderes precisamos nos espelhar no maior líder que já existiu: JESUS CRISTO. Precisamos ter como exemplo não apenas a divindade de Jesus, mas sim Ele como homem. Essa dimensão humana de Cristo é o que o vídeo fala.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Líderes - Madre Teresa


“Sei que o meu trabalho é uma gota no oceano, mas sem ele, o oceano seria menor.”
Madre Teresa de Calcutá

Líderes - Gandhi



“Um homem não pode fazer o certo numa área da vida, enquanto está ocupado em fazer o errado em outra. A vida é um todo indivisível.”
Mahatma Gandhi

Líderes - Mandela




“A verdadeira liderança exige compreensão de que não se está agindo como indivíduo, que se está representando o coletivo”.

Nelson Mandela

segunda-feira, 5 de julho de 2010

CLJ realiza trabalhos na Paróquia


Jovens ajudando a arrumar o salão no sábado, 03/07.


Retiro da Crisma. Venda de rifas. Organização do salão e auxílio no almoço paroquial. Essas atividades foram realizadas pelos jovens do CLJ nos últimos dois fins de semana.

O retiro da Crisma, realizado nos dias 26 e 27 de junho, foi uma mostra que o pessoal já esta exercendo a missão de EVANGELIZAR. Os jovens participaram da organização geral do encontro, desde a preparação dos lanches e auxílio na hora de servir os almoços até a animação do retiro e palestras. O resultado do trabalho foi que muitos jovens que fizeram o encontro estávam no pré realizado no ultimo sábado.

Já a venda de rifas e auxílio no almoço da paróquia, realizado ontem (04/07), foi a forma com que os jovens tiveram de retribuir toda a ajuda que a Paróquia São José disponibilizou para o retiro do CLJ. Além de retribuir o auxílio da paróquia, essa é uma maneira de divulgar o movimento que é novo na Diocese.

Portanto, parabéns a todos os jovens do CLJ e muito obrigada pela disponibilidade. É assim que construíremos um movimento forte em Cachoeira do Sul. Já iniciamos bem. E essa história está só começando a ser escrita.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Visite um mosteiro

Emilin Grings

Não sabia como funcionava um mosteiro. Pouco tempo atrás, descobri que em Santa Cruz do Sul havia um. Queria muito visitá-lo. Precisava de um motivo para ir lá. Tinha que fazer uma reportagem para rádio. Ainda não tinha pauta. Então, nada melhor do que unir duas das minhas paixões: a igreja católica e o jornalismo.

A reportagem deveria ser feita em dupla. O meu colega Willian, apesar de não ser católico, topou o desafio. Nos largamos de ônibus, dois para Linha Travessa, interior de Santa Cruz, no distrito de Rio Pardinho. O local onde deveríamos descer fica a dez minutos da Unisc. O mosteiro fica a meio quilômetro dali. Mas esse meio quilômetro, no interior, foi bastante longo para quem estava a pé e sem nenhuma noção da onde ficava o lugar que precisávamos encontrar.

Até que avistamos uma cruz. Só podia ser lá. O lugar onde o mosteiro localiza-se é lindo, no alto de uma coxilha. Lá de cima era possível contemplar toda a beleza da natureza. Local é rodeado por morros. Sem dúvida, um lugar onde é possível visualizar, completamente, toda a perfeição da criação de Deus.

As monjas foram muito simpáticas com a gente. Rendeu uma reportagem e tanto. O que mais impressionou foi a cultura daquelas mulheres. E eu que pouco sabia como funcionava um mosteiro, saí de lá bastante conhecimento sobre o assunto e muita vontade de passar uns dias no local. Até fui convidada pelas monjas. O mosteiro também serve de hospedaria para pessoas que buscam orientação espiritual e momentos de silêncio. Então, se você está precisando fazer um encontro pessoal com Deus mais intenso, visite o mosteiro

Ah, abaixo está a reportagem que fizemos. Espero que gostem.