segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Amizades e amizades ...

   Quantos amigos você tem? Convivemos com muitas pessoas, mas todas elas são nossas amigas? O que faz de alguém um amigo?
Aristóteles buscou compreender a amizade e
apresentou-a em três formas: baseada em necessidade, em prazer ou em carácter.

   1)A amizade por necessidade tem como objetivo a sobrevivência. Afinal, o
ser humano não é autossuficiente. Antes parece ser incapaz de viver
isolado. A amizade nesse sentido é apenas uma relação de utilidade ou
conveniência. A relação com o outro é apenas um meio para dar manutenção
à sobrevivência.

   2)A amizade por prazer é estabelecida em favor da alegria. É típica da
juventude. A relação  é mantida porque é prazeroso conviver,
compartilhar, estar juntos.

   3)A amizade por bondade é a amizade perfeita. O amigo é aquele que tem um
amor desinteressado e ajuda o outro a viver melhor a vida. Entretanto
esta é uma amizade rara, visto
que se estabelece apenas entre pessoas justas, amar é mais fundamental
do que ser amado. Este tipo de amizade ocorre quando as pessoas não
ficam à espera das manifestações de amizadem mas, antes, são as primeira
a tomar a iniciativa para aprofundar o relacionamento com o outro.


Ser amigo é...

   Ser amigo é conhecer o outro. Se eu sou amigo de alguém, devo saber quem é esta pessoa. Este conhecimento deve ser o mais amplo possível.
   Encontrar-se é possibilitar uma relação integral.
   Ser amigo é querer o bem do outro.
A amizade não é um sentimentalismo. Não se pode confundi-la com a mera
gentileza ou compreensão. A amizade tem um único objetivo:
fazer o bem sem interesse algum. o amigo vê o outro como a si mesmo. A
amizade é uma relação entre iguais.
   Ser amigo é ser reconhecido como amigo.
A relação de amizade é uma conquista. Ela deve alcançar o
reconhecimento e o consentimento do outro. Sem este reconhecimento não
há condições para a reciprocidade. Ambas as pessoas devem saber-se amadas pelas outras.
   A amizade é uma relação de reciprocidade.
Só há amizade se dois ou mais forem amigos uns dos outros. Essa
perspectiva de recoprocidade requer que sempre se tome a iniciativa para
agir, sem condições e pretensões, levando a ver o outro como um alter
ego- outro eu. No entanto a amizade requer esforço, treinamento
cotidiano e até mesmo sacrifício. Afinal, a amizade é uma virtude, um
traço de caráter.

Postado por: Matheus Bica
Departamento Litúrgico

domingo, 27 de novembro de 2011

Tempo de advento


Neste domingo, dia 27 de novembro começamos a vivenciar o tempo litúrgico do advento, que é tempo de esperança, confiança e conversão. É o tempo que aponta para as três vindas de Cristo: a do passado, sua vinda histórica; – a do presente: Cristo atuante no povo que celebra a eucaristia e pratica a caridade; – a do futuro: Cristo aparecendo em sua glória. É o mesmo acontecimento: ontem histórico e visível; hoje sacramento e realidade oculta; amanhã manifestação gloriosa.
O advento nos chama a levantar a cabeça, a olhar para o horizonte, enxugar as lágrimas e a viver a novidade que virá, e que nos convida a partilhar o pão e o coração, a superar o ódio e a vingança, a não querer destruir o difícil e o diferente, o louco, o pobre e o importuno. A vinda de Cristo vem no inesperado, no empobrecido e no evitado, em quem Deus faz sua morada.
Para que a vinda de Cristo não nos surpreenda, a exemplo do que aconteceu com as jovens imprudentes da parábola de Jesus (Mt 25,1-13) precisamos colocar azeite em nossas lâmpadas. Esperar com alegria e discernimento, vigilância e cuidado, lendo os sinais dos tempos, percebendo os vestígios de esperança que tornam a vida mais humana. Revestir-nos da atitude de espera e não de entorpecimento; espera criativa e amorosa, que aplaina os caminhos, superando a injustiça, a impostura e a corrupção que fabricam o desalento e deixam o povo sem perspectiva.
O Advento nos convida à conversão e a mudar a nossa maneira de pensar, agir e sentir, preparando-nos para celebrar o Natal com coerência, acolhendo o Deus feito homem, a luz que veio a esse mundo e que muitos não quiseram receber. Precisamos colocar-nos a caminho em ação, pois Cristo virá somente para aqueles que lhe prepararam um tempo e um lugar em suas casas, na comunidade e na sociedade.
Os caminhos de conversão que temos a apontar para o período do Advento são os grupos de oração, as celebrações da palavra, da penitência e da eucaristia, os gestos de partilha com os mais necessitados e a generosidade com a coleta da evangelização. Não deixemos que os enfeites sem conteúdo, e que só levam ao consumo, nos levem a ignorar os marginalizados da sociedade, que foram os primeiros a quem foi anunciada a boa notícia da entrada de Jesus na história da humanidade.
A todos desejo um tempo de Advento de muita graça e bênção. Que os caminhos e as ações que vamos trilhar e realizar nos levem verdadeiramente ao Natal do Senhor.
Quem se prepara bem celebra bem. Abençoado Advento a todos!
Dom Canísio Klaus - Bispo de Santa Cruz do Sul - RS
Postado por Felipe Drews

sábado, 26 de novembro de 2011

Padre João Batista Reus



 Servo de Deus Padre João Batista Reus, nascido Johann Baptist Reus, (Pottenstein, Baviera, 10 de julho de 1868 — São Leopoldo, 21 de julho de 1947) foi um padre católico teuto-brasileiro.

Entrou na Companhia de Jesus e, ordenado sacerdote, foi mandado para o Brasil. Durante muitos anos foi professor de teologia no Colégio de Cristo Rei, em São Leopoldo. Somente depois de 50 anos de sacerdócio, e a muito custo, aceitou celebrar a missa para toda a comunidade, pois até então a celebrava apenas em capela reservada e quase sempre com os mesmos assistentes.

Durante sua vida escreveu diversos livros religiosos em português, espanhol, alemão e italiano. Seu Diário Espiritual e Autobiografia revelam uma alma singular e mística.
Por causa dos milagres que lhe são conferidos, ao falecer, em 1947, Padre Reus já tinha fama de santo. O processo de beatificação começou em 1958, mas ficou parado durante décadas. Nos anos 90, os bispos gaúchos enviaram carta ao Papa João Paulo II, pedindo a beatificação do Padre Reus em processo que ainda tramita no Vaticano.

Iniciado em 1953, seis anos após sua morte, o processo de Beatificação do Servo de Deus se estende por mais de 50 anos, mas foi em 2010 que Dom Zeno Hastenteufel, bispo da Diocese de Novo Hamburgo, passou a olhar com maior atenção para a causa do santo popular. Uma Comissão Postuladora Diocesana foi instalada para fins de aceleração do processo que é burocrático e minucioso. No momento em que se inicia um processo de beatificação o religioso passa a ser considerado um Servo de Deus, o que já acontece com o Pe.Réus, após este processo de início, o Papa, através da Congragação para a Causa dos Santos, avaliando suas virtudes heróicas o proclama Venerável. Para ser Beato é necessário que um milagre seja comprovado e para canonizá-lo, mais um.




                                  Entrada do Santuário em São Leopoldo


Hoje, o Santuário Sagrado Coração de Jesus ( Padre Reus) localizado junto ao túmulo do jesuíta, é um dos principais pontos turísticos da cidade de São Leopoldo,é um dos locais mais importantes para os católicos no Rio Grande do Sul, recebendo milhares de romeiros mensalmente, que vão até lá pagar promessas por graças alcançadas, geralmente a pé partindo de diversas localidades do estado.
Na capital gaúcha, em sua homenagem, seu nome foi dado a uma extensa e importante via da Zona Sul, que se inicia no bairro Tristeza, atravessa o bairro Camaquã e termina no início do bairro Cavalhada.
 Local onde está o túmulo do padre João Batista Reus. Construído entre os anos de 1958 e 1968, recebe visitas de romeiros e devotos. O culto popular ao padre e a fé depositada em sua imagem surgiram há meio século. Muitos vêm orar e agradecer por graças concedidas pelo sacerdote que morreu com fama de santidade.
Para atender à visitação, estimada em 1500 pessoas a cada fim de semana, possui infra-estrutura com restaurantes, estacionamento e área verde. O santuário tem um órgão de bambu, único no país.


                                   Pequeno Video mostrando o santuário

Bom pra essa semana escolhi postar sobre esse padre muito conhecido e importante no Rio Grande do Sul, para muitos talvez ele seja apenas um padre, para outros um santo gaúcho. O mais importante é que sua devoção continue se espalhando entre os gaúchos e seus milagres para muitas pessoas continuem acontecendo. Não é atoa que minha família é devota do padre, assim como eu, para nós já nos concedeu várias graças, a mais importante de todas eu paguei com uma promessa ano passado. Por ter visitado o santuário duas vezes já posso dizer que vale a pena ir até lá, o lugar é muito bonito e abençoado, transmite uma paz divina, ver o túmulo do padre e poder tocar nele é um momento incrível, recomendo as pessoas conhecerem o local e ir até lá. Por acaso essa semana, rezei para o Padre Reus pedindo pela menina Jéssica Moraes do CLJ São José, por sinal um dia depois ela já começou a melhorar e só tenho que agradecer e continuar confiando no Padre, além de atender meus pedidos ligeirinho, ele nunca me deixou na mão, por isso tenho fé nele como um Santo que faz milagres e atende nossas preces, valeu padre Reus, que continue  abençoando a mim e aos gaúchos. Sendo padre ou santo, ele faz seus milagres basta acreditar e ter fé. Shalom! Fiquem com Deus e com o Padre Reus e boa semana a todos.


Postado por: Gustavo

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Arca de Noé

A imagem que o satélite Digital-Globe obteve da formação anômala no monte Ararat - Turquia. Outras imagens do local têm sido registradas por outros satélites e os pesquisadores empenham-se na análise detalhada de forma e dimensões.

Existem provas hoje de que a Arca de Noé realmente foi construida?

Vamos voltar na história e relembrar dos fatos ocorridos...

O filho de Lameque e o neto de Metusalém, Noé, aparece na décima geração depois de Adão. Noé tornou-se o centro de uma das mais conhecidas histórias da Bíblia. Ele e sua família viviam num mundo tão violento e pecador que Deus decidiu que não iria permitir que a raça humana existisse mais naquela época. Mas, no meio de tanta decadência, havia um homem-NOÉ-que tinha fé em Deus e vivia de acordo com as coisas de Deus. Tão justo era Noé que Deus lhe revelou seu plano e fez uma promessa de salvar a ele e a sua família. Deus deu um projeto de 120 anos a NOÉ e disse-lhe para construir uma arca porque iria fazer cair água do céu e inundar toda a terra. Noé fez tudo o que Deus lhe ordenou e com uma idade de 600 anos presenciou tudo acontecer de acordo com o que Deus havia lhe dito. E fez da arca sua casa durante os 40 dias de chuva sobre a terra “...e tudo o que havia fôlego de espírito de vida nos seus narizes, tudo o que havia no seco, morreu.” Gênesis 7:22. E assim foi até o sétimo mês, e no dia dezessete a arca repousou sobre os Montes de “Ararate”. Gênesis 8:4. E foram as águas minguando até o décimo mês. Essa é a história que conhe-cemos. Mas onde estará a “arca”? Por que ninguém consegue encontrá-la ainda mais hoje em dia num mundo de tantas tecnologias e satélites que podem tirar uma foto em nítida imagem de uma pessoa aqui na terra?

Pois o fato é! Realmente estão descobrindo várias evidências desde 1883 que realmente existe uma grande embarcação no monte Ararate na Turquia. Fotos tiradas de satélites, depoimento de pessoas que dizem realmente terem chegado até a arca e evidências como uma pedra que se parece uma âncora.

Também amostras da suposta madeira da arca estão sendo analisadas e muitas inscrições em rochas encontradas na região aos redores do monte servem de fatos de que realmente existe uma arca em algum lugar por ali. Em 17 de junho de 1949

Uma missão de rotina da Força Aérea Americana fotografou a mais de 4 mil metros de altura algo muito estranho. Os especialistas analisaram as fotos e emitiram um relatório chamado “anomalia do Ararate” e foi mantido em segredo por mais de 50 anos. Mas em 1993 Porcher Taylor um estudante especializado em satélites e diplomacia começou a fazer severas perguntas sobre esses arquivos. Ele acabou desco-brindo que junto com as fotos de 1949 também haviam outras fotos tiradas por um U-2 (avião-espião) e fotos de alta resolução tiradas pela CIA em 1973 usando o satélite militar KH-9 e até fotos mais sofisticadas tiradas pela CIA através do satélite KH-11 em 1976/1990/1992. Depois de muitos esforços o serviço de defesa liberou 6 fotos das tiradas em 1949 e não foram suficientes para provar se a anomalia era uma formação rochosa ou algo construído por mãos humanas. As fotos foram tiradas de muito longe e um pouco fora de foco (1949). Mesmo depois de outras tentativas usando um satélite comercial de alta precisão as fotos tiradas no verão de Out/99 (um dos mais quentes de todos os tempos na Turquia) ainda não davam para terem certeza sobre a anomalia encontrada no monte Ararat. A espessura de gelo é muito profunda e quase impossivel para se obter uma foto nítida daquele lugar.

Se a arca existe, por que então eles não conseguem encontrá-la? E por que não se organiza uma grande expedição para desvendar tudo? Primeiro: porque durante quase todo o ano o Ararat é coberto de neve. Segundo: os terroristas curdos atrapalham e atacam expedicionários que se aventuram a subir o monte; aquela é uma região muito conturbada. Nos anos 90, mais de 6 mil pessoas morreram no monte e só existe permissão para subir do lado sul, enquanto a suposta arca está no lado norte.

Um geólogo Adventista uma certa vez declarou: Talvez a maior descoberta arqueoló-gica de todos os tempos - a arca de Noé - esteja sendo preservada providencialmente para, no momento certo, ser revelada ao mundo como um monumento, prestando silenciosamente sua homenagem ao Criador e Mantenedor da vida, o mesmo Deus que amorosamente deseja implantar em nosso ser a Sua própria imagem, para que pos samos habitar eternamente em Sua companhia, no Céu e na Nova Terra finalmente restaurados

Retirado de: http://www.sitedecuriosidades.com


Postado por : Douglas Monteiro