terça-feira, 25 de maio de 2010

Está chegando

Emilin Grings

Começo o meu texto pedindo desculpa pela falta de postagens, mas a faculdade está me enlouquecendo. Como se eu já não fosse louca? hehehe... Pois bem, neste quase um mês que fiquei sem escrever muuuitas coisas ocorreram. Os nossos queridos prezandos estão perseverantes. De todos que foram chamados a fazer CLJ, que foram mais de 40, poucos desistiram.

Outra graça de Deus que recebemos foi que sete jovens que ainda não tinham o sacramento da Primeira Eucaristia, aceitaram fazer preparação conosco. E o pessoal está se puxando nos encontros. Nos reunimos todos os domingos pela manhã, após a missa das 9h. Na nossa última reunião, cada um dos catequisandos falou sobre um sacramento. Todos aprendemos muito. Está sendo uma experiência maravilhosa. Eles vão receber Jesus pela primeira vez antes do CLJ, provavelmente no próximo fim de semana. Aí prometo que conto como foi.

Neste sábado (29/05) teremos o présão, um encontro de pré-CLJ mais longo, das 14h às 17h30min. Será a última preparação antes do curso que já ocorre na próxima semana (Nossa, como passou rápido!). Sem dúvida, o présão vai ser mais um momento muito especial. E ainda contaremos com a presença dos nossos queridos irmãos de Gravataí.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Não julgues o outro pelo pecado cometido

Por Emilin Grings

Nos últimos dias o que mais se vê na mídia, principalmente nos sites de notícias, são os escândalos envolvendo padres ou bispos em casos de pedofilia contra menores. Aí eles (os jornalistas) descobrem que o Papa Bento XVI sabia do fato e se omitiu. Críticas e mais críticas recaem sobre a Igreja Católica. Dos sites essas notícias vão para os jornais, televisão, rádio, ou seja, todo mundo fica sabendo e a imagem da instituição baseada nos ensinamentos de Cristo fica comprometida.


Ninguém é perfeito, só Deus. O ser humano comete erros, sendo ele ateu, religioso, padre, bispo, papa. É claro que pedofilia é um crime e os culpados devem pagar pelo que fizeram. Mas a mídia tem prazer em arruinar a imagem da igreja. Os casos de abuso de crianças ocorrem bem mais nas casas de família, nas escolas, na rua do que dentro de instituições católicas. Não há o motivo para tanta crítica. É só olhar ao redor que muitos casos acontecem e não são noticiados com tanta veemência.


Além disso, na bílbia em 1Co 6 – 2, diz “Não sabeis que os santos julgarão o mundo? E se o mundo há de ser julgado por vós, seríeis indignos de julgar os processos de mínima importância?”, ou seja, ninguém tem direito de julgar o outro pelos pecados cometidos. Todos pecamos. E tem outra, quanto mais conhecimento se tem sobre o que a Igreja prega, maior é a responsabilidade diante dos atos. Portanto, quando membros ligados ao clero católico cometem pecados como pedofilia serão julgados com maior rigor por Deus.

Enfim, ninguém tem o direito de apontar o dedo para o pecado do outro. Isso é bíblico. Também esses fatos anunciados pela mídia não devem ser desculpa para deixar de frequentar a Igreja. Quem deixa de ir a atividades religiosas por causa das atitudes cometidas pelo clero não possui fé nenhuma. A crença deve estar baseada em Jesus Cristo e naquilo que ele deixou como ensinamento, a Bíblia Sagrada.