quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Os deuses do TER – do PODER e do PRAZER!

*Adaptação do texto de Dom Eusébio

Nosso mundo vive uma grande sede de Deus e uma sentida saudade de Deus. O ser humano buscou o encontro com o Absoluto, procurou a resposta definitiva para as perguntas primeiras e últimas de sua existência. A busca de sentido para seu passado, seu presente e seu futuro, caracteriza a história das pessoas e dos povos. Não se conhece, em toda a história da humanidade, algum povo que não tenha recorrido à dimensão religiosa para responder às questões mais intrigantes da existência humana: “Por que e para que vivemos, de onde viemos e para onde vamos?”

Também a civilização ocidental, por mais que se defina agnóstica ou atéia, é marcada pela sede de Deus. Um século depois de grandes filósofos e críticos da religião terem previsto seu fim, em favor do predomínio absoluto da razão, eis que vivemos o retorno do sagrado. Porem, Vivemos numa época em que os deuses combatem entre si pela posse do coração humano. De um lado, o Deus único e verdadeiro das religiões monoteístas e das grandes religiões orientais que ajudam o ser humano a situar-se no mundo, a buscar a verdade, a empenhar-se pela paz e pela justiça. De outro LADO, os deuses do mercado, os ídolos do ter, do poder e do prazer, o anti-deus (Lc 16,13) – a dividir o coração humano, a massacrar multidões de vítimas em seus altares sanguinários.

Teria o dinheiro tanto prestígio, não fossem as vítimas a ele oferecidas, por ele exigidas, em mortes estúpidas, pela exploração do corpo, por acidentes, por doenças crônicas, pela promiscuidade, pela falta de valor a vida, por guerras e atos terroristas?

Infelizmente a cada grande evento que explora o público infanto-juvenil temos depois que lamentar os estupros, as mortes no trânsito, os abortos decorrentes das relações indesejadas, as doenças sexualmente transmissíveis, os hospitais lotados com as overdoses ou comas alcoólicas, a banalização e a exploração do corpo, a tristeza e o arrependimento nos dias seguintes.

O problema da atual sede de Deus é que se pretende acabar com ela, quer-se saciá-la de modo definitivo. Busca-se, então, um Deus-objeto, um tapa-buracos, um quebra-galhos. Cria-se uma religião de resultados, que solucione todas as crises, cure todas as doenças, resolva todos os problemas. Uma religião-terapia e não uma religião-aliança... Construo uma religião de acordo com os meus interesses e não conforme os ensinamentos de Deus... Ajo em total desacordo com sua proposta.

Em vez de relacionar-se com Deus, como um amigo íntimo, um companheiro fiel, um pai extremoso, faz-se dele objeto de uso. Busca-se um deus feito pelo homem, que esteja sempre à disposição do homem. Criado à imagem de Deus, o ser humano quer agora criar seu deus, à sua imagem, invertendo as relações.

Passa-se muitas vezes a relativizar essa relação com Deus... Principalmente os jovens sabem da proposta de Deus para eles, conhecem o que Deus determina e o que Deus os pede, porém, não consideram tais mandamentos importantes... Assim, embora muitos jovens estejam na Igreja, continuam a idolatrar os deuses do TER, do PODER e do PRAZER...

Muitos continuam achando que fazer sexo antes do casamento é normal, que “ficar é normal”, que usar drogas é normal, que a prática do homossexualismo é normal (ignorando que Deus nos fez – HOMEM e MULHER), acham que o aborto é normal, que se encherem de tatuagens, pircings, ou macularem seu corpo de inúmeras formas é normal, esquecendo-se do que nos ensina São Paulo: NOSSO CORPO É TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO, tudo o que eu faço contra ele eu faço contra Deus.

Assim temos uma geração que se esconde da verdade nas máscara dos modismos fáceis e das soluções apressadas. Foi essa a denúncia que fez Jesus de Nazaré: “Uma geração perversa e adúltera busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal do profeta Jonas” (Mt 12,39).

Enquanto se procura Deus no poder e na grandeza, ele se esconde e se encontra na simplicidade e nos pequenos atos de amor de cada dia... na amizade, no afeto, no respeito aos pais, no carinho para com os irmãos, no cuidado dos doentes, dos velhos, dos excluídos e abandonados... na visita que fazemos todas as quintas no hospital, no cuidado com a natureza, ...

Agora a cada promessa cumprida torna-se motivo de nova esperança. Na verdade, essa é uma certeza de quem se deixa encontrar por Deus. Afinal, é ele quem vem ao nosso encontro, agora e sempre. Lembre-se, porém, que Deus vem ao nosso encontro, mas ele bate a porta (Ap 3, 20)... Não força, não arromba, fica ali, na expectativa aguardando nossa decisão de IR, de QUERER,... Mas quando então tomamos a decisão, ELE ENTRA E TRANSFORMA NOSSA VIDA!

Sim, ao aceitarmos a proposta de Deus, ele transforma completamente nossa vida... Para melhor... Pois, ficamos mais felizes, mais alegres, com mais amor no coração... E quanto mais amor... Mais Deus.

E Ele vai colocando pessoas em nossas vidas que são verdadeiros anjos, as quais passam a caminhar conosco... Pessoas que nos seguram pela mão, pessoas que principalmente transformam o nosso coração... Enchem-no do Espírito Santo com sua oração (orar + agir) através do amor, dos conselhos e dos ensinamentos sérios, pessoas que não só nos apontam o Caminho, a Verdade e a Vida, mas que caminham conosco, não importando se juntos irão encontrar pedras, obstáculos ou dificuldades...

Observem que esses nossos verdadeiros amigos, não se importam em cravar espinhos nos pés e nas mãos, para nos tirar do campo árido e sujo que nos afasta de Deus, pessoas que com seu agir nos tiram do caminho dos deuses do TER, do PODER e do PRAZER... E nos levam para perto d’Ele, nos emprestando o ombro, o colo, o ouvido, o conforto...

VOCÊ JÁ ENCONTROU ESSAS PESSOAS NO CLJ?

VOCÊ TEM SIDO ESSA PESSOA NO CLJ?

Nenhum comentário:

Postar um comentário