terça-feira, 21 de setembro de 2010

Jovem, e aí: “Ficar” ou “Namorar”? Eis a questão!

Por Diácono Carlinhos

Jovens Líderes Cristãos “... vós sois o Sal da Terra a luz do mundo”. (Mc 9, 50)

No encontro de sábado, vocês trabalharam o tema: “namorar” ou “ficar”. Estando a primeira prática (o namorar) a cada dia mais em desuso, enquanto cada vez mais, a expressão e prática do “ficar” passa ser uma realidade entre os jovens e adolescentes. Esta é uma questão que tem gerado sérias discussões entre jovens do mundo (mundano) e os jovens líderes cristãos. O namoro convencional tem sido deixado de lado e, com isso, muitos jovens saem em busca de aventuras românticas e prazeres momentâneos ao invés de um verdadeiro compromisso como deve ser prática de um jovem cristão.

A maioria opta pelos ídolos do TER, PODER e PRAZER que a sociedade vende como a melhor saída, embora, os resultados e estatísticas demonstrem diariamente que é justamente ao contrário. Observem quem e quais os jovens que realmente são felizes. Não confundam com breves momentos de alegria, os quais normalmente ocorrem durante uma boate, uma balada ou evento semelhante. Eu falo sobre felicidade, sobre ser realmente feliz. Vejam se os jovens que são castos, que se respeitam, que possuem princípios, que possuem valores morais e éticos se são jovens infelizes.

Façam uma análise vocês mesmos, se algum de vocês já foi assim ou se convive com pessoas assim, verifique se vocês ou se essa pessoa era mais feliz antes, ou se é mais feliz agora.

Nunca ouvi da boca de um jovem que tenha se arrependido de se preservar, de ter respeitado e valorizado seu corpo, pelo contrário, sempre ouço afirmativas positivas. Agora, lhes asseguro é comum ouvir de jovens mundanos o seu arrependimento, as suas tristezas, as suas frustrações, suas mágoas e em muitos casos as feridas deixam cicatrizes que nunca mais irão se apagar.

Lamentavelmente namorar, noivar e casar, para muitos jovens, já não é mais a realização de um sonho. Em contrapartida, muitos deles preferem se lançar em relacionamentos passageiros que, na maioria das vezes, só trazem frustrações e decepções.

Aprendemos que o “ficar” sem compromisso é uma atitude que não deve ser tomada pelo verdadeiro cristão, pois sem a orientação de Deus, todos os nossos planos são frustrados. Nossa vida deve ser pautada de acordo com a vontade de Deus. O jovem líder cristão deve assumir com responsabilidade os seus compromissos e decisões.

Observem que ser sal e luz é um ordem divina, é uma atitude que deve ser tomada por todos os jovens cristãos, e esta decisão irá refletir em todas as áreas de suas vidas, inclusive no namoro. O jovem líder cristão deverá se manter firme na presença de Deus, na certeza de que no tempo d’Ele irá colocar uma pessoa abençoada para se relacionar conosco, uma pessoa séria e que também queira primar por este compromisso. Deus tem o melhor para nos dar, por isso temos que querer o melhor e esperar o tempo certo para o amor.

O Papa pedia aos jovens para que sejam do mundo, sem serem mundanos e assegura que não podemos nos abster nas situações que nos rodeiam, como se não tivéssemos nenhuma responsabilidade sobre aquilo que nos rodeia. Temos que deixar de acharmos normais atos e práticas anormais e que são contrarias aos ensinamentos de Cristo.

Para sabermos como agir, é importante ter cuidado com o julgamento, deixando sobressair a compreensão e a misericórdia de Deus. Agindo como se estivesse recebendo a orientação do Pai. É fundamental, também, que o jovem cristão tenha coragem para agir da forma correta, mesmo que o mundo pense de outra forma e que a nossa ação não seja tão valorizada e visível.

Quando o jovem líder cristão é comparados com o sal recai sobre ele uma responsabilidade tamanha: o jovem líder cristão deve ter um sabor incomparável. Ser sal nessa terra implica em fazer a diferença nesse mundo. Enquanto o mundo se corrompe, vai perdendo seus valores, o jovem lider cristão deve a cada dia transformar-se em exemplo e modelo e não se conformar com o que o mundo (mundano) lhe oferece, onde o jovem não passa de um objeto que depois de usado pode ser descartado.

Jovem, Cristo lhe deu essa função, você deve ser o sal da terra, acontece que se você perder o sabor, não servira mais pra nenhuma das funções distintas ao sal. Somos salvos por Jesus Cristo, mas se perdemos as nossas qualidades, se perdermos as nossas características (não cumprindo o que Ele nos pede) vamos deixar de ser e vamos simplesmente parecer ser sal, ou seja, posso estar no templo, sem estar na Igreja.

Concluindo, dessa forma o jovem líder cristão cumpre o que Deus lhe pede: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que todos vejam as suas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está no céu. (Mt 4,16)”

Nenhum comentário:

Postar um comentário