segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O PORQUÊ DE RECOMEÇAR!

Por Diácono Carlinhos
"Retirou da escuridão meu coração. Acendeu uma nova luz em meu olhar. Fez nascer à primavera onde o inverno não passou. E me deu motivos para recomeçar..." (Padre Fábio de Melo)
Quando compreendemos que o recomeçar é um continuar de onde paramos, um rever posições, um reiniciar aonde erramos, um voltar a caminhar quando estamos parados ou afastados do caminho, do trajeto proposto por Deus ou quando perdemos o foco de nossos objetivos. Um exemplo de recomeçar é uma tricoteira que deixa de fora alguns pontos que são fundamentais na sua manta, blusão ou obra que está tricoteando, tendo que desfazer, ou seja, voltar alguns pontos e corrigir para poder continuar sua obra, concluir sua missão.
Na vida da gente não é muito diferente. Às vezes precisamos compreender e rever pontos, voltar atrás algumas posições, para depois tranquilamente continuarmos nosso trabalho, nossos projetos e objetivos. Precisamos compreender e não termos vaidades, orgulhos, sentimentos de perda ou frustração, ao termos que voltarmos atrás para consertarmos as coisas quebradas, rompidas, esquecidas ou que fomos abandonando pelo caminho.
O dia é hoje, o tempo é o presente e a hora é agora!
Precisamos compreender que não podemos mais perder a hora, não podemos mais perder o foco, abandonarmos a missão devido a palavras ditas ou não ditas, não podemos mais deixar o coração machucado ditar nossas ações e o nosso futuro. É tempo de recomeçar. É tempo de rever atos. É tempo de corrigir, de crescer, de perdoar, é tempo de viver como Jesus viveu, amar como Jesus amou...
A frase ali em cima do Padre Fabio de Melo – “Fez nascer à primavera onde o inverno não passou...” me fez relembrar de um texto que escrevi na primavera: “se compreendesse”... Sim, quando compreendemos as estações da vida, como as estações do ano, aceitamos o recomeço... Aceitamos que acertamos, mas que também erramos. Compreendemos que no verão às vezes também faz frio e que no inverno, às vezes faz calor...
“Fazer nascer à primavera onde o inverno não passou.”
Que bela frase... Que proposta magnífica para uma meditação...
Esse ano que passou eu vivi um inverno muito rigoroso, talvez um dos mais rigorosos de toda a minha vida... Mas no meio dele consegui viver um pouco de primavera e de verão... E só consegui viver essas estações (primavera e verão dentro do meu inverno), porque comigo além de Deus, havia anjos e sirineus... (minha família, meus amigos, meus irmãos).
Precisamos compreender que voltar não é desistir, não é fraquejar, pelo contrário, para recomeçar, na maioria das vezes é preciso voltar... É preciso olhar para os exemplos que Jesus nos dá nessas situações: O Filho Pródigo voltou; a Ovelha Perdida voltou; um dos Leprosos voltou e todos aqueles que estavam afastados e aceitaram a Deus e a missão, voltaram... Então “voltar” não é sinônimo de derrota, mas sim, sinônimo de humildade, de amor, de inteligência, de compreensão, de crescimento, de fé, de esperança e de perdão.
Na maioria das vezes, para recomeçarmos precisamos desistir do caminho pelo qual seguimos por algum tempo, acreditando que nos levaria a algum lugar. Porém, quando nos damos conta que esse caminho está nos levando para longe daqueles que amamos, para longe de nosso ideal (Cristo), dos nossos sonhos, dos projetos que criamos e amamos, para longe da missão que Deus nos confiou, chegou a hora de parar e voltar.
Por isso que para recomeçar é preciso ter coragem, é preciso saber quando é a hora de parar, quando é a hora final daquele tempo que nos propomos (em que saímos e fomos para o monte). Se estivermos afastados da missão que Deus nos confiou, sempre é tempo de recomeço, é hora de compreendermos que se Deus nos chama, é porque a messe é grande e os operários são poucos. A Bíblia nos traz inúmeros exemplos de recomeços, inúmeros exemplos de discípulos e missionários que se deram conta de voltar ao caminho, concluir a missão para a qual Deus havia lhes convocado e nestes casos não há relatos de tristezas, de choro ou de ranger de dentes, pelo contrário, no retorno há festa, há abraços e presentes.
“Fazer nascer à primavera onde o inverno não passou.” É termos consciência que chegou a hora de sairmos da estrada torta, dolorida, cheia de curvas, buracos, lágrimas e corações partidos (irmos para longe dos ídolos do TER/PODER/PRAZER que o mundo nos propõe) e pegar o retorno mais próximo. Deixar para trás dores particulares, sonhos frustrados, jogar fora papéis amassados de textos e rabiscos mal acabados, deixar para trás palavras ditas ou não ditas e olhar para frente, vislumbrar que um novo dia amanheceu e que a noite escura que havia se foi para nunca mais voltar.
Compreender que no recomeçar, podemos nascer de novo, fazer ressuscitar sonhos, projetos, amizades e concluirmos a missão para qual Deus nos convocou pessoalmente. É compreendermos que mesmo durante a tribulação, as crises, as dificuldades que se apresentam no meu inverno, eu vou poder viver a primavera porque estou com Deus, com os anjos e os sirineus que Ele me enviou.
Recomeçar é rever pontos e estações para aprender a não mais pular etapas. Lembrando que aprendemos e crescemos mais com as quedas e os obstáculos, do que com um caminho livre e sem dificuldades. É preciso termos consciência que não podemos viver só no verão ou só na primavera, que precisamos saber que além dessas estações, existe também o outono e o inverno, e para essas eu preciso guardar proventos, alimentos e ter reservas para os dias frios e chuvosos que eu não puder sair para trabalhar (aqui surge o valor da família – da amizade – da igreja – do grupo – da comunidade...) é quando eu colho o fruto do que eu semeei.
“Fazer nascer à primavera onde o inverno não passou.”
Eu, particularmente, creio que só conseguimos viver a primavera onde o inverno não passou com Deus, com os anjos e com os sirineus que Ele colocou em nosso caminho...
E, se tu neste momento vives o verão, se não há necessidades de recomeços, agradeças a Deus, colha os frutos que semeastes ontem, mas principalmente, não deixas de semear para quando o inverno vier, porque ele vêm e as vezes ele vem tão rigoroso e nós não guardamos os proventos necessários para suportarmos essa estação e sucumbimos no meio do caminho.
Pense nisso!

· E aí, compreendo o que eu preciso recomeçar hoje?
· Em que estação estou?
· Estou colhendo os frutos do que semeei ontem?
· E o que estou semeando para colher amanhã?

Shalom!

Nenhum comentário:

Postar um comentário