segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Se compreendesse!

Por Diácono Carlinhos

“Hoje eu paro para pensar quais foram... quais são os meus objetivos... uns bons, outros nem tanto, uns em processo, outros alcançados, mas todos sempre se modificando através das estações...”

(Hoje eu analiso o extrato de um texto – SE COMPREENDESSE – que recebi de uma jovem cristã)

Sim, se compreendêssemos tudo, a nossa vida seria mais fácil, mas não é assim, há mais incertezas do que certezas. Porém, temos aqui nessa frase vários acertos e muitas certezas, ao contrário do que a autora nos propôs inicialmente... Quando as compreendemos já estamos crescendo. Afinal, compreender é pensar e atuar flexivelmente em qualquer circunstância a partir do que se sabe sobre algo. A ideia de “compreender” inclui uma dupla dimensão: pensamento e ação, duas dimensões que estão presentes em toda ação humana.

Portanto, o primeiro acerto: “quando eu paro para pensar”... Isso é fundamental na vida da gente, parar para pensar. O mundo está de pernas para o alto, porque as pessoas não param mais para pensar. Nós precisamos ouvir mais o silêncio de nosso coração, fazermos uma analise e um momento de contemplação de nossa vida: erros, acertos, vitórias e derrotas... Principalmente jovens agem por impulso, pela emoção do momento, fazem e dizem coisas e depois se arrependem amargamente, porém, na maioria das vezes não é mais possível voltar atrás... “uma palavra é como uma pedra, depois de lançada, não a seguramos mais.” Assim, pela falta de “parar para pensar” ou “pensar antes de fazer ou dizer”, usam drogas, fazem sexo, cometem inúmeros desatinos. No Livro das Lamentações 3, 40 encontramos: “Examinemos seriamente o que temos feito e voltemos para o Deus Eterno.”

· Tu tens parado para pensar?

O segundo aspecto positivo: “quais são os meus objetivos”, ora, termos objetivos é extremamente importante e fundamental em nossa vida... São eles que nos dão um rumo, um ideal, uma vontade, um desejo de querer e ir... o fato de as vezes parecerem maus, dependem muito do momento e das circunstâncias, porque ninguém em sã consciência estabelece para si objetivos ruins... o maior fator de alienação de nossos jovens hoje é justamente porque não possuem objetivos, andam como zumbis (“não há vento favorável para quem não sabe para onde quer ir”) ... assim, um jovem que possui objetivos está no caminho certo. Apenas às vezes precisa revisá-los, mudar um pouco o projeto inicial, mas ter objetivos é fundamental. São Paulo na II Carta aos Coríntios 13, 11 nos dá um caminho: Por fim, irmãos, vivei com alegria. Tendei à perfeição, animai-vos, tende um só coração, vivei em paz, e o Deus de amor e paz estará convosco.

· E você quais são os teus objetivos?

O terceiro fator e o que eu considero a chave de todo o texto que recebi é entender: “... uns em processo, outros alcançados, mas todos sempre se modificando através das estações...” essa conclusão é de uma maturidade realmente significativa. Entendermos que nossa vida não é uma rocha, uma pedra, um ser morto, pelo contrário, está em constante movimento e que realmente muda como as estações. Estamos na primavera e logo virá o verão, mas vejam, estamos na primavera e devemos então aproveitá-la da melhor forma possível, para o nosso crescimento... Aproveitar os pássaros, as flores, situações e circunstâncias que só acontecem nesta estação. Assim aqueles que estão vivendo em suas vidas a primavera, aproveitem, não vivam o outono, o inverno ou nem mesmo vivam no verão... Esse virá daqui mais um tempo e então teremos a oportunidade de usufruirmos dele com todos os seus benefícios. Aproveitem com maturidade e dignidade o momento que vocês estão vivendo... As amizades, os grupos sociais, as relações interpessoais, os familiares, porque, talvez muitos não estarão conosco na próxima estação. Assim, não antecipe nada, apenas planeje, tenha objetivos, mas não viva a próxima estação antecipadamente. A natureza é sábia, pois foi criada por Deus e nossa vida integra essa natureza, portanto, deve seguir aquilo que Ele estabelece para a gente. Aproveite e acumule o que é necessário para quando vier o inverno, pois, no seu tempo ele virá... então nós vamos precisar estar providos... de amizades, de amor, de fé, de companheirismo, de compreensão (de anjos e Sirineus), ... Aquilo que soubemos preparar durante a primavera e o verão. Sim, precisamos acreditar na força da amizade, porque durante a vida podemos e devemos construir sentimentos verdadeiros, aprender a conviver, partilhar e dividir sem se sentir derrotado, inclusive, isso nos faz cada vez mais fortes na fé.

Portanto, quando a dificuldade se abater, não desista, não abandone seus objetivos, nunca deixemos de acreditar, nunca percamos nossa fé, porque parte de Deus é amor e a outra parte também. Assim, espero que saibamos compreender as estações da vida e as pessoas que por nossa história passarem, sabendo identificar e valorizar a necessidade de sua presença em cada fase. Que possamos entender que Deus faz cada capítulo único e sem volta, devendo ser vivido intensamente, porque parte de nós é vida, e a outra parte também, na vida eterna. Assim, se compreenderes que as mudanças são necessárias, sem que seja necessário abandonarmos nossos objetivos e as pessoas, pois naquela estação, elas são únicas na vida da gente e se estão ali é porque Deus colocou e tem um objetivo para ti e para ela, teremos cumprido nosso papel.

Concluo, afirmando! Sempre, temos muito a oferecer... Nosso ombro, nosso ouvido, nossa amizade, nosso carinho, nossos talentos... Pois tu és única na vida de uma pessoa, assim como aquela pessoa é única na tua vida.

  • Compreendes o que disso tudo?
  • Tens sabido viver cada estação?

Nenhum comentário:

Postar um comentário