segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Angústia e Frustração

Por Diácono Carlinhos


Há alguns dias eu havia escrito sobre “frustração” (http://cljparoquiasaojose.blogspot.com/), até brinquei que já andava frustrado pelas inúmeras vezes que começava a escrever sobre esse tema e terminava escrevendo sobre outro, mas dei-me conta que me esqueci de abordar a “ANGÚSTIA”, sentimento que na maioria das vezes é a fonte da frustração.

Pois quantas vezes nos parece que o peito vai estourar de tanta dor, a garganta se fecha e a ansiedade ataca, vem a tristeza, a solidão, a sensação de estarmos sozinhos mesmo no meio de uma multidão, vontade de abandonar tudo, jogar tudo para o alto... Isso tudo são sintomas da angústia, geralmente provocada por frustrações, sentimentos de ingratidão, sentimentos de culpa e também por inseguranças. Uma traição, por exemplo, nos leva a um sentimento de frustração que provoca angústia. Outro exemplo: uma pessoa que fala algo na hora sob o efeito de forte emoção (sem pensar) ou faz algo sob essa mesma emoção e se arrepende depois, isso provoca angústia, pela dificuldade que fica em resolver todo o quadro. Não esquecendo que conforme uma Lei da Física - para cada ação há uma reação. Assim, nem sempre a reação das pessoas ocorre como planejamos e as coisas parecem que escorregar pelos nossos dedos e isso termina em angústia e frustrações, pois as vezes, parece que não conseguiremos mais retornar ao caminho. Não tenha medo – “não percas de vista o ponto de partida e qual é o nosso ideal”.

Os especialistas nos dizem que para tratarmos isso, precisamos encontrar a causa (analisarmos onde está o começo de tudo) e assim eliminarmos a angústia e com isso superarmos a frustração. Caso contrário, essa inquietude vai nos deixar mais ansiosos, mais frustrados e a cada dia mais doentes. Vamos aos poucos nos afastando da vida, das pessoas, do convívio, dos grupos sociais e o reestabelecimento dessa rede torna-se dia-a-dia mais penoso e doloroso. É preciso nos damos conta que se faz necessário percorrermos o caminho de volta urgentemente. O dia é hoje e o momento é agora!

Caso isto não seja feito, corrigirmos aquilo que motivou o começo de nosso problema, vamos sofrer com a angústia pelo resto da vida. Os exemplos estão ai ao nosso alcance, basta analisarmos pessoas com quem convivemos, as quais são eternamente frustradas ou tristes, porque deixaram passar o seu momento de corrigir um fato ou uma situação.

Veja bem! Ou nós buscamos logo a solução para esta angústia ou teremos sentimentos de culpa, conflitos familiares, conflitos amorosos, conflitos conjugais, inseguranças, tristezas, entre tantas outras perdas, pelo resto de nossas vidas.

Será triste e frustrante lá no futuro lembrarmos-nos de algo que fizemos ou deixamos de fazer, simplesmente por termos deixado de corrigir apenas um aspecto em nossa trajetória de vida. Pelo simples fato de não corrigirmos um momento em nossas vidas, nos privamos da verdadeira felicidade, da verdadeira alegria e do que realmente é viver a vida. Isso tudo, seja motivado pelo medo, orgulho, vergonha, vaidade ou outros sentimentos que nos impedem de corrigirmos apenas um gesto ou atitude. Aceitar que erramos ou que erraram conosco, que devemos perdoar ou pedir perdão, isto é o começo de toda a solução.

Devemos lembrar que durante toda nossa vida vamos ter problemas, mas nem por isto devemos viver a vida toda angustiados. Assim, devemos aprender com eles. Quantas pessoas têm problemas e não são angustiadas, porque sabem lidar com toda essa situação e corrigem o curso tão logo se afastam do caminho (dar um passo para o lado).

Temos que aliviar esta pressão interna equilibrando o corpo e reprogramando a mente. Sem trabalhar a causa (fazer o caminho de volta) para eliminarmos de forma definitiva a ANGÚSTIA, vamos estar sempre expostos a este problema. Não adianta tentarmos o contrario, um dia ele volta por sentimento de frustração, outro por sentimento de culpa, outro por insegurança, outro por raiva, outro por indignação, outro por sensação de abandono e assim sucessivamente estaremos expostos a pressões que vai aos poucos nos contaminando, matando sentimentos e causando cada vez mais angústia, afastamento, dor e sofrimento. É no peito que todas essas emoções se manifestam. O peito funciona como uma caixa de ressonância de nossas emoções.

Quer saber se você está bem emocionalmente? Perceba o que sente no peito!

Veja bem! A proposta é olha para dentro do teu peito (coração) e veja o que está sentindo... Não o que demonstras externamente para os outros (alegria – euforia – falsos risos – falsa felicidade, etc)... Vai para dentro do teu quarto, te recolhe depois de uma oração... faz uma reflexão e verificas o que realmente está sentindo. A partir dessa análise. Não tenhas medo! Não tenhas vergonha! Ora, se a causa da angústia são emoções mal resolvidas ou mal compreendidas, palavras ditas ou não ditas, gestos feitos ou não feitos, tenta solucioná-los agora e não mais sofrer deste mal, tendo consciência que este sentimento não afeta apenas a gente, mas também nossa família, nossos círculos sociais e todos os demais que nos rodeiam, começam um a um ficar doentes também.

Porque os especialistas nos afirmam que se isto não for feito (resolvermos a causa de nossa angústia) vamos sofrer deste mal até a morte, e ninguém em sã consciência vai querer sofrer por toda uma vida, simplesmente pelo fato de não querer dar um passo ao lado. Não te prives das melhores coisas que Deus te proporciona, apenas para não reparar um sentimento ou uma situação equivocada. Ora, se sabemos a causa do que está nos provocando a angústia – por que não resolvê-la logo? Seja ela por sentimento de culpa, seja por sentimento de injustiça, de ingratidão, seja por desconfiança, seja pelo motivo que for, a cura só vai acontecer quando te deres conta do que está te causando isso tudo e o quanto tu estás perdendo com tais sentimentos.

Concluindo, é possível resumir tudo em: busque a causa da tua angústia e superarás as tuas frustrações. O melhor remédio para a angústia é o amor. Afinal, o amor é uma alegria no peito e angústia e uma dor no peito. Assim quem quer alegria e não dor no peito, perdoa. Quem ama volta atrás de uma decisão precipitada ou impensada, quem ama cuida, zela, sente-se responsável. Não podemos combater a angústia só atuando na mente. Com relaxamentos, meditações ou atuando só no físico com alimentação e exercícios, a solução passa necessariamente pelo conhecimento da causa e pelas AÇÕES (ou seja, na IMITAÇÃO DE CRISTO), percorrendo, ser for o caso, o caminho de volta, onde o Pai nos espera de braços abertos, assim como esperou o Filho Pródigo, dando-lhe roupas novas, um anel e fazendo uma festa.

Nunca esquecendo - A OVELHA SOU EU! http://www.youtube.com/watch?v=_kseoTNbI_A&feature=related

Pense nisso!

Aja! A hora é hoje e o momento é agora!

Seja feliz e faça feliz todos aqueles que te são caros... Shalom!

Nenhum comentário:

Postar um comentário