terça-feira, 19 de outubro de 2010

O QUE É ESPIRITUALIDADE?

Por Diácono Carlinhos

Podemos dizer que Espiritualidade é o jeito como vivemos... É a nossa vida espiritual vivida,... Feita de vários momentos.

E a espiritualidade cristã é o nosso jeito de vivermos inspirados pela experiência do Deus Trindade, pela revelação cristã, especialmente pelos valores do Evangelho e, de forma experiencial, pelo seguimento da pessoa de Jesus Cristo.

“... sabemos o rumo a seguir, é Cristo o nosso ideal...”

O fato de sermos cristãos dá uma inspiração própria ao que somos e fazemos: orienta o nosso agir, ajuda a discernir nosso sentir e ilumina as nossas decisões com valores específicos.

Seguimos a frase de Maria por ocasião do primeiro milagre de Jesus nas Bodas de Caná: “Fazei tudo o que ele vos disser!”

Espiritualidade é essencialmente uma experiência: experiência de Deus, feita por pessoas. Experiência de um Deus pessoal, revelado em plenitude na pessoa de Jesus Cristo. Experiência de Deus feita por pessoas.

Dentro desta concepção de fazer uma experiência de Deus, devo então saber o que é certo e principalmente devo ser bom, pois Deus é só amor.

Quando optamos por uma vida de erros, de desenganos, de mundo mundano, nós comprometemos nossa espiritualidade.

Lembrem que recentemente escrevi um texto sob o título: “Minha consciência sabe o que é certo e o que é errado, eu decidi pelo que?

Pois bem, no texto eu relatava meus atendimentos com jovens que haviam me procurado buscando orientação espiritual. Dizia que “os encontrei machucados, confusos, indecisos, tristes, perdidos e principalmente arrependidos. Sim, arrependidos por terem feito o que era errado, muitos deles sabendo que estavam fazendo as coisas erradas.” A consciência deles já os advertia disso, eles sabiam que o que estavam fazendo era errado e, por causa disso agora estavam sofrendo.

Ora, se eu sei qual é o caminho e qual é o rumo a seguir porque eu teimo em ir por outro?

Questionava por que fazemos certas coisas mesmo tendo a consciência de que é errado? E perguntava: no que tu estás pensando agora? Ora, se sabes que é errado, não faças.

Ser consciente das coisas é muito importante, mas o pior erro é fazer o errado, tendo a consciência de que é errado (essa inclusive é uma condição do pecado).

Então meu caríssimo jovem se tu sabes que é errado por que fazer?

Por puro prazer? Para dar um "sabor" à tua vida?

Se sabes que é errado, não faças! Simplesmente não vale a pena. Eu te afirmo que convivo com jovens que depois de fazerem as coisas erradas, se arrependem, sofrem e se sentem perseguidos por um pensamento que os assombra dizendo "Por que fez isso?”.

Ora tu sabes distinguir entre o certo e o errado. Tua família já te mostrou isso. Teus amigos te apontam para isso. A Igreja te ensina sobre isso.

Por que então tu te articulas para fazer justamente o contrário?

Queres sofrer?

Queres fazer as pessoas que gostam de ti sofrer?

E eu concluía o texto conclamando aos jovens: Caríssimos, pensem bem em seus valores morais e éticos, em tuas concepções, em tua ideologia. Cuida de ti... Preserva teu corpo, conserva tua moral, prima pela tua conduta. Eu asseguro a vocês, nunca encontrei um jovem ou adulto que estivesse sofrendo por ter tomado essa decisão: A DE SE PRESERVAR. Lembra-te também que o teu corpo é “TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO.”

E então, o que vocês estão fazendo com o Templo de Deus?

Assim, retornando ao tema proposto para hoje: ESPIRITUALIDADE - devemos entender que pelo fato de sermos jovens líderes cristãos, devemos nos lembrarmos de que Jesus Cristo orienta o nosso agir, ajuda a discernir nosso sentir e ilumina as nossas decisões com valores próprios do ser cristão, mas não nos força a nada... Temos liberdade para aderirmos ou não ao seu projeto. “Eis que estou a porta e bato, se me deixares entrar, entrarei e cearei contigo... Ap. 3, 20” Portanto, ratifico-lhe que espiritualidade é essencialmente uma experiência: uma experiência de Deus, feita por nós, através de nossas opções (bem ou mal) que conforme as decisões que tomamos nos aproxima ou nos afasta de Deus.

Concluindo, ao optar pelo erro eu enfraqueço minha espiritualidade (minha vida espiritual vivida), por isso a afirmação inicial de que a espiritualidade exige uma experiência integral pelo que é certo. Uma opção pelo que é bom. Uma opção pelo amor incondicional a Deus. Como disseram os bispos, em Aparecida: " Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossa alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor nos confiou ao nos chamar e nos escolher."(DAp 18).

  • Considerando o texto proposto para hoje, como está sua espiritualidade (sua vida espiritual vivida)?
Tens primado por fazeres experiências de Deus (optando pelo certo)?

Nenhum comentário:

Postar um comentário