terça-feira, 5 de outubro de 2010

JOVEM SEJA O SAL DA TERRA E A LUZ DO MUNDO...

(Texto adaptado) Por Diácono Carlinhos

O que somos? É necessário que indaguemos a nós mesmos e procuremos, com sinceridade responder a esta pergunta, tanto no individual como no grupo, tanto na nossa vida particular, como na nossa vida de comunidade de fé; é necessário que constantemente nos perguntemos quem somos e como estamos agindo e reagindo as questões da vida. Devemos nos questionar se estamos fazendo conforme nossa identidade de cristãos.

Somos chamados para sermos a “luz do mundo” e o “sal da terra” (Mt 5, 13-15). Ora. A luz não é luz para si mesma, não ilumina a si mesma, nem o sal salga a si mesmo. Mas a luz é acesa para iluminar a tudo e a todos. Jesus, pelo batismo, nos deu sua luz, em nós há uma luz que deve iluminar “a casa toda”, mas se por nossas atitudes, nós colocamos nossa luz embaixo da mesa, nós a abafamos, a escondemos... assim nós ficamos nas trevas. A fé que temos em Deus é o sal que tempera e preserva, mas “se o sal perde o sabor, para nada serve e é jogado fora”, se nossa fé não se manifestar em atitudes de cristãos, é como um sal que não serve para nada e é desprezado. Posso estar no templo, sem estar na Igreja.

Cada cristão é um missionário. E o Reino de Deus vem sobre a terra, se manifestando através de nós quando somos “sal da terra” e “luz do mundo”! Ser sal da terra e luz do mundo é à base de todo o testemunho cristão.

Ora! Ser “sal da terra” e “luz do mundo” é algo que devemos manifestar em todas as nossas ações, no nosso dia a dia. Nenhum momento, onde quer que andemos e o que quer que façamos, pode estar excluído desta realidade de temperar e iluminar. Lembrando também do Papa Paulo VI que o “Jovem é o maior apóstolo do jovem...” assim, você deve ser modelo para esse mundo.

Caríssimos, antes de qualquer atitude pense! Como Jesus era e agia, nós devemos ser e agir, se há algo que Jesus, em nosso lugar, não faria, não diria, não pensaria, então se nós fizermos, dissermos ou pensarmos, não será algo de um cristão verdadeiro, é algo pecaminoso, contrário a vontade de Deus, e deve ser evitado com todas as forças, e se nós, fazendo um exame de consciência honesto, encontramos algo em nossa vida, que não corresponde ao que Jesus ensinou, ao seu agir dizer e pensar, nós devemos fazer uma oração e pedir perdão, suplicar a Deus para que Ele nos converta, pois então há algo em nós que é pecaminoso e deve ser transformado.

Se quisermos pertencer a uma Igreja e a um Grupo saudável, que seja “sal da terra” e “luz do mundo” devemos fazer nossa conversão diária, para que Jesus Cristo seja a meta e o centro da nossa vida. Para que a nossa Igreja seja um lugar seguro e o caminho que nos leva ao Pai, como uma comunidade dos que testemunham o Evangelho de Jesus Cristo; os membros devem ser sinal de santidade no mundo, devem buscar em Jesus Cristo o exemplo de vida e se perguntar, a cada momento:

Jesus faria isso? Jesus diria isso? Jesus pensaria isso?... se a resposta for negativa então não faça, pois sabe que estará se afastando d’Ele.

Pedimos então neste momento que Deus, nos ajude e nos converta para sermos verdadeiramente o “sal da terra” e a “luz do mundo”, aqui e agora e em todos os lugares onde estivermos. Amém.

VOCÊ TEM PENSADO DE COMO JESUS FARIA ANTES DE SUAS AÇÕES?

QUE SENTIMENTOS RUINS HABITARAM MEU CORAÇAO ESSA SEMANA?

TENHO BUSCADO SER “SAL” e “LUZ”? COMO?

Nenhum comentário:

Postar um comentário