quinta-feira, 15 de julho de 2010

Uma vida de dedicação aos jovens

Diácono Carlinhos Cardoso Machado reserva todo o seu dia para reprimir uso de drogas e álcool

Matéria publicada no Jornal do Povo hoje




O 1º tenente da reserva da Brigada Militar, Carlos Idelfonso Cardoso Machado, 45 anos, há vários anos via a necessidade da prevenção e da recuperação dos jovens envolvidos com drogas. Há três anos ele decidiu que um dos caminhos para desenvolver um trabalho voluntário para atingir estas pessoas era se tornando um diácono. Agora, atuando na Paróquia São José, diácono Carlinhos como é conhecido, dedica 24 horas do seu dia a atender jovens que precisam de ajuda espiritual e para formar líderes que possam disseminar boas práticas entre os integrantes dos seus grupos. Agora, aposentado há seis meses, Carlinhos, que é cachoeirense mas atuava em Porto Alegre, divide seu tempo entre o trabalho com as pastorais da família, jovens e cerca de 20 diferentes pastorais sociais e as visitas a clínicas, fazendas e hospitais.

Diácono Carlinhos está sempre em busca de atendimento aos jovens que perdem o rumo devido ao álcool e as drogas. Quando estava na Brigada, Carlinhos já atuava na repressão contra às drogas. Foi ai que ele começou a se aperfeiçoar no assunto. “Hoje conduzo eles ao Amor Exigente, Alcoólicos Anônimos e Narcóticos Anônimos, ofereço atendimento e orientação, busco internação através da Secretaria Municipal de Saúde. Estou sempre presente quanto algum pai me chama, pode ser o lugar e a hora que for”, observa ele. Para evitar que o caminho dos jovens seja o das drogas e do álcool, Carlinhos acredita que a melhor alternativa seja a prevenção, que acontece dentro das escolas. Em média, ele ministra 10 palestras por semana, sempre abordando o assunto de formas diferentes de acordo com a faixa etária dos alunos. Atualmente, o bullying (agressões e brigas no ambiente escolar) também tem sido assunto recorrente nas palestras.

PAIS - Casado há 24 anos com Teresinha Machado, que também atua como ministra na Igreja Católica, e pai de uma menina de 17 anos, diácono Carlinhos afirma que a figura da família é fundamental para manter os jovens longe dos entorpecentes. “O problema atual está ligado a questão de valores. A ausência dos pais e a falta de limites imposta a gurizada é um grande impasse a ser resolvido. Muitos pais têm hoje indefinidos seus valores comportamentais. Muitos não sabem o que é certo e o que é errado para a educação de seus filhos”, lamenta ele.

Jovens líderes para bons exemplos


Jovens líderes: grupo se encontra duas vezes por semana na São José

Uma das preocupações do diácono é formar jovens líderes que sejam referências na suas famílias e no ambiente em que estão inseridos como escolas, boates. “Nosso projeto é mostrar que é possível ser feliz de cara limpa, conviver bem com os amigos e colegas”, observa Carlinhos. O grupo de jovens líderes se reúne duas vezes por semana. Nas quartas-feiras, após a missa das 18h30min, eles debatem o tema da celebração do dia. Nos sábados à tarde, quando o grupo é maior, eles abordam assuntos bem mais abrangentes como paternidade responsável, sexo, casamento, namoro e qualquer outro tema que seja atual e desperte o interesse da gurizada.
O adolescente Taylor Bulsin de Oliveira, 13 anos, está há um ano frequentando o grupo de jovens líderes e afirma que adora os encontros. “Saio da escola e venho direto para a Igreja. Gosto muito de vir para cá”, conta ele, para alegria do seu pai, o empresário Fábio Garin que diz ser "uma benção ver o filho feliz”. Carlinhos explica que a ideia é mostrar a realidade ao jovem e evangelizá-los, pois evangelizar os pais, que já são adultos, é bem mais difícil.

Espiritualidade é fundamental

O diácono Carlos Idelfonso Cardoso Machado destaca que a presença espiritual é fundamental para a recuperação de quem se torna dependente químico. “Nós levamos a palavra de Deus e respeitamos qualquer opção espiritual. A fé é fundamental também na prevenção. Quem está dentro da Igreja não vai para as drogas”, enfatiza ele. Hoje cerca de 600 jovens são atendidos nos projetos liderados pelo diácono.
Carlinhos destaca que existem três estágios relativos às drogas. O primeiro é prevenção, que segundo ele é o que recebe os menores investimentos. Depois disso vem a repressão, quando já é necessário a intervenção da Polícia e Judiciário. O último é a recuperação do dependente.


Importante

Além da coordenação do trabalho com jovens e das pastorais sociais, diácono Carlinhos ainda coordena o grupo Bom Pastor, onde se reúnem casais de segunda união e do Encontro de Casais com Cristo da Paróquia São José (ECC).

2 comentários:

  1. Parabéns ao Tio Carlinhos e para todos os jovens que perseveram na caminhada com Cristo!
    Shalom

    ResponderExcluir
  2. É realmente uma bênção de Deus conviver com o Tio Carlinhos. Se todos fizessem como ele o mundo seria melhor.

    ResponderExcluir